Banner Educar


14º Festival Jeca Tatu reúne mais de 10 mil pessoas na Praça de Eventos em dois dias

14º Festival Jeca Tatu reúne mais de 10 mil pessoas na Praça de Eventos em dois dias

A maior festa junina de Parauapebas já começou! E para abrir a programação do 14º Festival Jeca Tatu, a tradicional carroçada pela cidade. Centenas de jovens saíram às ruas ontem, 22, em desfile convidando a comunidade para prestigiar o evento que acontece de 22 a 26 de junho, na Praça de Eventos e que, este ano, traz como homenageado o mestre da sanfona “Sivuca, na Feira de Mangaio”.

O motoboy Marcos Silveira, 32 anos, acompanhou o desfile da Carroçada pelo bairro onde mora e se diz entusiasmado com a alegria e animação das quadrilhas. “É m convite que não dá para não aceitar. Quero marcar presença na Praça de Eventos todos os dias”, disse.

Ao fim do percurso, que teve como início o Bairro Guanabara e destino a Praça de Eventos, o público assistiu a concursos para escolha da Miss Caipira Gay, Jeca, Miss Caipira, Miss Mulata, Miss Simpatia, Casamento na Roça, cujos vencedores serão conhecidos no domingo, 26, último dia de Festival.

O Festival Jeca Tatu é uma realização da Liga das Agremiações Juninas de Parauapebas (Liajup), Prefeitura de Parauapebas, por meio da Secretaria Municipal de Cultura (Secult) em parceria com o Conselho Municipal de Cultura.

A cada ano o sucesso do Jeca Tatu só aumenta, prova disso é que em apenas dois dias, mais de 10 mil pessoas já passaram pelas dependências da Praça de Eventos para prestigiar o evento.

“São 14 festivais e 15 anos de história e mais de 1.500 jovens envolvidos diretamente no projeto”, comemora o presidente da Liga Das Agremiações Juninas de Parauapebas (Liajup), Carlos Magno, conhecido como Bhyl. “Este é um trabalho voluntário com intuito de fomentar o movimento cultural junino, utilizando a dança para manter e resgatar jovens e adolescentes longe das mazelas sociais”, explicou o presidente da Liajup.

Para o secretário municipal de Cultura, Marcelo Eduardo Costa, a Prefeitura tem orgulho em apoiar inciativas que contribuam para fortalecer as raízes culturais do município. “Esse é um evento tradicional que além de movimentar a cidade com uma programação diferenciada, mostra jovens talentos e, sobretudo, fortalece nossos laços culturais”.

Programação

Shows com artistas locais e praça de alimentação com comidas típicas também são atrações da festa. Nesta quinta-feira, 23, as atrações ficaram por conta dos desfiles das quadrilhas: Explosão Junina, Moleque Doido, Revelação Caipira, Flor do Sertão, Os Caipiras e show com artistas locais e regionais.
Na sexta-feira, 24, às 20h, tem a apresentação das quadrilhas intermunicipais e shows.

Dezessete grupos locais de quadrilha disputam títulos nas categorias: Geral, Estilizada e de Salão. As apresentações prosseguem no sábado, 25, com as agremiações Tradição dos Minérios, Guerreiros de Fogo, Flor do Futucaí, Esplendor Junino, Coração do Sertão e quadrilhas de salão Sedução Junina, Explosão de Cheiro.

As quadrilhas Morceguinhos da Roça, Os Matutos, Rabo de Palha, Cabras da Perte, Jovens do Cangaço encerram a série de apresentações no domingo, 26, às 19h. Show com artistas locais e regionais encerra a última noite de evento.

Segundo a coordenação da Liajup, a apuração do resultado final do Festival acontecerá na segunda-feira, 27, às 9h, no Centro de Desenvolvimento Cultural (CDC)

Sivuca

Este ano, o Festival Junino Jeca Tatu presta homenagem a Sivuca. Conhecido como compositor e sanfoneiro contribuiu para o enriquecimento da música brasileira e recebeu reconhecimento internacional por seus trabalhos que incluem choros, frevos, forrós e outros ritmos.

Severino Dias de Oliveira nasceu em uma família de sapateiros e agricultores em Itabaiana, pequeno município da Paraíba. Começou a tocar sanfona aos nove anos de idade. Em 1950 gravou seu primeiro disco. Foi casado com a compositora Glória Gadelha, com quem desenvolveu um vasto trabalho, com destaque para o forró “Feira de Mangaio”.

Outras parcerias bem-sucedidas foram “João e Maria”, com Chico Buarque e “No Tempo dos Quintais” e “Cabelo de Milho”, ambas com Paulo Tapajós. Após lutar contra um câncer na laringe, Sivuca morreu aos 76 anos.

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!