Publicidade

Adolescente de 17 anos é o autor de assassinato macabro em Parauapebas

No dia 3 de fevereiro de 2019, Wendel Fabrício Correa, conhecido como “De Belém” desapareceu, sendo registrado por sua mãe uma ocorrência na Seccional de Polícia Civil de Parauapebas, oportunidade que passou a viralizar nas redes sociais vídeos, sendo um deles, Wendel confessando ser de uma facção criminosa e outro em que o mesmo tinha sido torturado e morto, sendo decapitado e o corpo cortado com o uso de um facão.

O Portal Pebinha de Açúcar noticiou AQUI sobre os vídeos macabros que circulava pelas redes sociais e relatou detalhes, inclusive sobre a possível briga de facções criminosas.

Saraiva publicidade

Pouco tempo depois, a mãe da vítima entrou em contato com a nossa reportagem e disse que estava desesperada em busca de ao menos encontrar o corpo de seu filho. Ela negou que o mesmo fosse de alguma facção criminosa, como pode ser visto na reportagem que publicamos AQUI.

 

Polícia agiu rápido

Diante dos fatos e vídeos que viralizaram nas redes sociais, a mãe de Wendel compareceu à Delegacia e reconheceu seu filho como sendo a vítima do vídeo que estava sendo circulado. O Delegado José Aquino teve informações preliminares do suposto local onde se encontrava o corpo de Wendel, bem como os supostos autores do fato após intensa investigação junto com a equipe composta pelos IPC’s Abraão, Walmir e EPC Alexandre, que realizaram na madrugada deste sábado (9) diligências com o apoio da Polícia Militar, e no Bairro dos Minérios, conseguiram prender o nacional Denílson Santos Vera, de 18 anos de idade e deter o adolescente P. G. M. F. de 17 anos de idade com entorpecentes, sendo ambos suspeitos do delito.

P. G. M. F. confessou o crime e levou os policiais no local em que estava o corpo de Wendel, numa área de matagal aos fundos da Escola Municipal Fernando Pessoa, no Bairro dos Minérios.

 

De acordo com autoridades policiais, os dois elementos confessaram a participação na morte de Wendel, informando que junto estava também o nacional conhecido como “Parauapebas”, sendo este identificado como Nelson Ferreira da Silva e “Jardel”, ainda não identificado.

“Ressalto o brilhantismo da operação, pois como é de conhecimento de todos, os vídeos estavam trazendo enorme insegurança à população de Parauapebas. Por fim, informo que todos os homicídios deste ano em nossa cidade tiveram identificados os seus respectivos autores”, relatou o delegado Aquino.

Em declarações prestadas à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, o Soldado Correa, juntamente com seu companheiro de guarnição, Sargento Sérgio, informou que por volta das 20h00 de ontem, sexta-feira (8) estava em ronda pelo Bairro dos Minérios, em Parauapebas e recebeu o pedido de reforço do Delegado Aquino para que as polícias Militar e Civil fossem em uma missão em busca dos autores do crime bárbaro que chocou populares. “Constatamos as informações repassadas aos investigadores da Polícia Civil e chegamos até ao P. G. M. F., menor de idade que confessou ter assassinado cruelmente Wendel Fabrício Correa”, relatou o militar.

 

Nossa equipe conseguiu falar também com Denílson Santos Vieira, ele confessa participação no crime. “Estou envolvido, tive participação, mas não estava na hora. Em um dos vídeos eu apareço segurando o corpo da vítima que teve a cabeça decepada, porém, no momento da morte, eu não estava”, relatou o elemento que perguntado se faz parte de alguma facção criminosa em Parauapebas, negou e disse: “só corro junto”.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu