Publicidade

Ano de 2019 inicia com tiros, mortes e feridos na Palmares II

Investigadores da Vigésima Seccional de Polícia Civil de Parauapebas iniciaram o ano de 2019 com a missão de desvendar o caso em que duas mortes foram registradas na manhã desta terça-feira (1) na localidade de Palmares II, zona rural de Parauapebas.

As investigações ainda estão em andamento, porém, de acordo com informações obtidas pela equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar, a confusão foi registrada entre 6h00 e 7h00 da manhã nas proximidades da Praça da Palmares II.


De acordo com as primeiras informações, um grupo de pessoas passou a noite bebendo e durante esta manhã acabou se desentendendo e a confusão terminou com tiros, feridos e duas mortes.

 

Só por volta das 7h15, uma guarnição da Polícia Militar, composta pelo cabo Batista e soldado Lopes foi comunicada sobre uma possível ocorrência na Palmares Sul, porém, eles descobriram que o caso foi registrado na Palmares II, e chegando lá, corpos e vítimas já tinham sido encaminhados ao hospital e ao Instituto Médico Legal (IML). As vítimas fatais foram identificadas como José Maria de Paiva e Aldemir Alencar da Silva.

“Estivemos no local, fizemos os primeiros levantamentos, porém, infelizmente a ‘lei do silêncio’ impera e ninguém quis comentar sobre o assunto”, relatou o PM cabo Batista.

Uma pessoa identificada como Édiel Gomes Santos que também está envolvida na confusão, foi baleada e também é acusada de fazer disparos com arma de fogo. Édiel está internado no Hospital Municipal de Parauapebas e deve ter o pedido de prisão preventiva feito pelas autoridades policiais.

Hélio Silva Santos

Escapou da morte

Uma pessoa que afirmou que passava pelo local no momento dos tiros, por pouco também não entrou nas estatísticas de mortes violentas que já iniciaram nas primeiras horas do ano de 2019, trata-se de Hélio Silva Santos, de 22 anos de idade.

“Eu vinha passando pelo local, já estava indo para minha casa e na hora do acontecido, nem sei explicar como foi a situação, só vi a hora dos ‘pipocos’ e deitei no chão e os estilhaços de balas acabaram atingindo de raspão o meu queixo e a cabeça”, relatou Hélio, que recebeu os primeiros atendimentos no Hospital Municipal de Parauapebas e foi encaminhado posteriormente à Delegacia de Polícia Civil para prestar depoimento sobre a confusão.

Nossa equipe de reportagens continua acompanhando o caso e em breve traz mais informações detalhadas com base nas investigações das autoridades policiais.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu