Publicidade

Associação Novo Encanto realiza café ecológico para apresentar área recuperada

Foi em meados de 2011 que o Núcleo da União do Vegetal em Parauapebas vislumbrou a oportunidade de trabalhar, ainda mais, pela recuperação ambiental de áreas no município de Parauapebas, quando um sócio trouxe ao conhecimento da diretoria a existência de uma área de domínio público, localizada nos fundos da empresa Recanorte, anteriormente utilizada como pista de motocross, apta a ser recuperada.

A partir daquele momento, a irmandade se uniu em uma corrente de força para resgatar a área e conseguiu junto à administração municipal a cessão de uso do espaço para o CEBUDV – Centro Espírita Beneficente União do Vegetal, que vem zelando com o trabalho voluntarioso de seus sócios.

Saraiva publicidade

Depois de corrigir a área com planagem e adubos orgânicos, o próximo passo era reflorestar e cuidar para que o plantio prosperasse. Assim, com auxílio dos Voluntários Vale, no final de 2013, foi feito o plantio das mudas de árvores de diversa espécies:

ÁRVORES DE ESSÊNCIA VEGETAL – Castanheira, ipê Rosa, roxo e amarelo, mogno, seringueira, tento vermelho, pau Preto, mulateiro, tarumã, Axixá, jaborandi, canafítula, tamburiu, cumaru e outras.

ÁRVORES FRUTIFERAS – Ingá, goiaba, manga, guabiroba, carambola, pitomba, taturubá, castanha do Pará, açaí, Oití, rambutã, banana, graviola, caju, romã, jaca, cajá, cacau, Coco da praia , limão, murici, açaí, azeitona roxa e outras.

Há aproximados quatro anos depois, a entidade recebeu membros de instituições ambientais e políticos para mostrar o resultado dos trabalhos e como a área, onde hoje existe uma floresta em formação, está se recompondo.

O encontro se deu na manhã de domingo, 11, através de um café da manhã ecológico, onde, depois de apresentar vídeos dos trabalhos ali realizados, os convidados puderam andar pela área e tocar na nova realidade.

Os convidados foram recepcionados pelos representantes da Novo Encanto, Alexandre Rodrigues e Luiz Alexandre; pelo coordenador do DPMA – Departamento de Plantio e Meio Ambiente da UDV, Davilson Oliveira; pelo Representante da UDV em Parauapebas, Renisson Marcos Aguiar; e pelo presidente da UDV em Parauapebas, Antônio Alves. Todos falaram do trabalho naquela área e de outros realizados no município de Parauapebas.

Sinara Albuquerque, membro do ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) na Floresta Nacional Tapirapé Aquiri, esteve no evento e elogiou o trabalho feito ali. “Precisamos conscientizar as pessoas que a floresta é economicamente viável, além de trazer conforto à população e preservar as espécies da fauna e diversos biomas”, afirma.

Os Voluntários Vale, que estiveram nos primeiros trabalhos de plantio naquela área, também compareceram para ver o resultado de suas participações; e foram representados por Uelnice que disse ter valido a pena a contribuição. Ela lembra que estiveram ali mais de 20 voluntários quando viram apenas uma área limpa onde se parecia impossível nascer alguma planta. “Agora ver aqui essa floresta é um privilégio muito grande. Prova do resultado daquilo que a gente planta e de que vocês cuidaram”, diz agradecida Uelnice, se colocando à disposição para outras empreitadas.

Quem representou o governo municipal, através da Secretaria de Fazenda, cujo titular é Keninston Braga, naquele ato foi Olinto Campos Vieira, Procurador do Município e diretor do Departamento Arrecadação Municipal. Ele lembra como era a área em 2011 e diz ver que o homem quando quer pode fazer a diferença para melhor no meio em que vive. “O lucro maior que estou vendo aqui é a vida e o exemplo dado às crianças que ao verem os pais plantando já crescem com esta consciência ecológica. Tenho certeza que o poder público, com a conscientização e humanização que vem tendo, dará pleno apoio a esse trabalho que vem sendo feito, de recuperação, plantio e espiritualidade”, compara Olinto, afirmando que daqui há uma década aquela área estará ainda melhor.

 

Sobre a Associação Novo Encanto

A Novo Encanto é uma organização brasileira sem fins lucrativos com raízes na floresta amazônica, que floresce e frutifica em todos os biomas brasileiros. Com trabalhos de interesse público ligados às principais temáticas socioambientais, mantemos uma ampla base social com afiliados, parceiros e doadores comprometidos com a Conservação da Natureza em todo o país.

Criada em 1990, a Novo Encanto é uma entidade ambientalista, sem fins lucrativos, qualificada pelo Ministério da Justiça como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) desde 2010.

A qualificação de OSCIP é um reconhecimento oficial dado a entidades do terceiro setor que facilita parcerias e convênios com órgãos governamentais e públicos, permitindo que doações realizadas por empresas possam ser descontadas no imposto de renda.

Desde 2013, a Novo Encanto está associada e tem status consultivo junto ao Conselho Econômico Social das Nações Unidas (ECOSOC-ONU), um dos seis órgãos principais do Sistema da Organização das Nações Unidas (ONU).

TRABALHO ECOLÓGICO

A Novo Encanto atua por uma convivência mais harmônica do Homem com a Natureza, por meio de projetos que visam a inserção de comunidades extrativistas em cadeias de valor de produtos da sociobiodiversidade.

Contribui para a conservação e multiplicação de bancos de matrizes genéticas de espécies florestais nativas e sementes crioulas de plantas alimentícias tradicionais.

Zela por áreas de preservação e uso sustentável dos recursos naturais, na Amazônia, Cerrado e Mata Atlântica. E, realiza parcerias para a restauração florestal e regularização ambiental de propriedades rurais, com objetivos de conservação da biodiversidade e gestão territorial orientada para a formação de corredores eco.

Reportagem: Francesco Costa / Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu