Publicidade

Câmara adere ao movimento “Maio Amarelo”

Quem é o culpado pelos acidentes de trânsito? A interrogação foi tema da peça teatral apresentada nessa terça-feira, 13, no Plenário da Câmara Municipal, antes da realização da Sessão Ordinária, para o público presente e os vereadores. A encenação, feita pelo Núcleo de Educação para o Trânsito (Net), faz parte das ações do Movimento Nacional Maio Amarelo, promovido pelo Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT).

No Brasil, cerca de 120 pessoas morrem por dia vítimas de acidentes de trânsito, por ano, o número de mortes ultrapassa os 42 mil e mais de meio milhão ficam feridas, segundo dados do Ministério da Saúde. Chamar a atenção da sociedade e das autoridades para esses altos índices, conscientizá-los de que os acidentes nas ruas e rodovias são previsíveis e podem ser evitados são os objetivos do Movimento Maio Amarelo. A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar o envolvimento de órgãos de governo, empresas e entidades de classe, para efetivamente discutir o tema nas mais diferentes esferas.


Antes da apresentação teatral, o titular da Secretaria Municipal de Segurança Institucional do Cidadão (Semsi), da qual o DMTT faz parte, Hipólito Gomes, apresentou números alarmantes do trânsito no Brasil e pediu o apoio dos vereadores ao movimento. “Não há lugar melhor para solicitar essa adesão do que nesta casa de leis, porque os senhores antes de tudo são condutores, pais e mães de família e é claro, fiscais e legisladores. A participação dos senhores é imprescindível e com certeza tornará os resultados das ações ainda melhores”. O secretário relatou ainda que a mudança deve começar a partir da colaboração de cada cidadão, dentro do seu deslocamento diário no trânsito. “Pare! Reflita! Atenção! É a sua vida e a dos outros que está em jogo, o trânsito só muda, quando a gente muda”, destacou.

Adesão dos parlamentares
Os vereadores parabenizaram o secretário e a equipe da Semsi pelas ações. Bruno Soares (PP) disse que acredita na sensibilização dos condutores para reduzir os acidente de trânsito. “Eu vou procurar fazer minha parte, corrigindo os maus hábitos e também vou ajudar na publicidade do movimento”.
Major da Mactra (PSDB) reforçou o pedido que já havia feito, para que seja realizado um levantamento nas escolas, para identificar onde há a necessidade de colocar faixas de pedestres e quebra-molas. Destacou ainda que “essa campanha é muito importante para que a gente fique mais atento, pois o risco de acidentes é a todo tempo, a cada segundo.”
Devanir Martins afirmou que a Câmara está de portas abertas para colaborar com a campanha e com qualquer ação em prol do município, do Estado e do Brasil. “Agradeço a vocês pela realização desse movimento, pois precisamos ter mais consciência e paciência no trânsito”.
Maridé Gomes (PSC) afirmou que está comprometido com o trânsito de Parauapebas. “Tenho 47 anos de idade e mais da metade da minha vida tem sido dirigindo carros, como motorista já fiz vários cursos de direção defensiva e uma das coisas que aprendi é que temos que dirigir por nós mesmos e pelos outros, porque quando dirijo apenas para mim eu ajo como se fosse o dono da razão e no trânsito não existe isso, todos precisam contribuir para que tenhamos um trânsito justo e seguro”.

Ao fazer uso da tribuna, Irmã Luzinete (PV) pediu um minuto de silêncio em memória de dois amigos que morreram após sofrer um acidente de moto. Em seguida fez uma reflexão a respeito da responsabilidade no trânsito. “A culpa é mesmo de todos nós. Espero que essa apresentação vá para as escolas e ruas, pois precisamos dessa conscientização”.
Charles Borges (SDD) relatou que o trânsito em Parauapebas tem diversas irregularidades. “Estamos errando em vários aspectos, por falta de comprometimento com a nossa vida e com a dos outros. Todos nós reclamamos e apontamos erros, mas pouco fazemos para melhorar”. O parlamentar informou ainda que em breve o DMTT terá poder de polícia, graças a um convênio que está sendo realizado com o Governo do Estado e assim os agentes poderão ter mais autonomia em suas ações de fiscalização e punição aos motoristas infratores. Charles fez um apelo aos condutores também, para que não tentem burlar as leis quando forem punidos praticando alguma infração. “Vamos respeitar as leis e os agentes”.
No decorrer do mês, a Semsi vai promover várias ações nas escolas e nas ruas, como palestras, peças teatrais, blitz educativas com panfletagem e distribuição de laços amarelos, símbolo da campanha. Em frente a Câmara Municipal estão expostas carcaças de veículos que restaram após acidentes de trânsito.​

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu