Banner Educar


CAPITAL DO MINÉRIO: Parauapebas é 4º na balança, mas exportações caíram

CAPITAL DO MINÉRIO: Parauapebas é 4º na balança, mas exportações caíram

A “Capital Nacional do Minério de Ferro” ficou em 4º lugar entre os 1.495 municípios brasileiros exportadores em janeiro. Foram transacionados 467,62 milhões de dólares, 97% dos quais em minério de ferro. Ainda assim, o melhor resultado de Parauapebas é o superávit comercial, em que o município despejou ao Brasil 460,13 milhões de dólares, ficando em 2º lugar nacional.

Está em solo municipal, aliás, o empreendimento que mais exporta no país, o Projeto Ferro Carajás, na Serra Norte, com assinatura da mineradora multinacional Vale.
Apesar disso, as exportações de Parauapebas tiveram queda de 24,51% ante janeiro de 2017, e o volume extraído de minério de ferro no primeiro mês deste ano, de 9,82 milhões de toneladas (Mt), é inferior aos 11,23 Mt do ano passado. Vale ressaltar que em Parauapebas está localizada, ainda, a Mina de Manganês do Azul, também de autoria da Vale.

O engenheiro Artur Alves, presidente da Associação Paraense de Engenheiros de Minas (Assopem), observa que a redução das exportações do município se deve ao inverno chuvoso, que desacelera a produção física do minério de ferro, e à leve queda na cotação média do produto, que fechou este janeiro em 76,15 dólares ante 78,62 dólares em janeiro do ano passado. “Em termos de preço, a média da tonelada do ferro ficou 2 dólares e meio menor este ano, embora o minério de Parauapebas receba prêmio porque seu teor é superior a 66% de hematita, 4 casas acima do preço de referência, de 62%”, esclarece.

Fonte: Assopem

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!