Publicidade

Ceap e Guarda Municipal realizam projetos com crianças e adolescentes

A Guarda Municipal de Parauapebas (GMP) e o Centro de Educação Ambiental de Parauapebas (Ceap) realizaram na manhã desta sexta-feira (28) palestras e dinâmicas sobre meio ambiente e cultura de paz para alunos das escolas municipais Fernando Pessoa, Domingos Cardoso e do Residencial Alto Bonito.

O público formado por 180 alunos, entre crianças e adolescentes, mora no Residencial Alto Bonito, Complexo Altamira e Bairro dos Minérios e foi treinado para participar do desfile cívico de 7 de setembro. A iniciativa dá continuidade às ações de prevenção à violência e criminalidade que são desenvolvidas pela Guarda Municipal.

Saraiva publicidade

De acordo com Franciedson Silva, coordenador pedagógico no Ceap, a entidade ambiental leva conhecimentos ambientais para as crianças com objetivo de conscientizá-las acerca dos problemas ambientais advindos pela destinação incorreta dos resíduos, bem como dos impactos notados dentro do bairro em que elas vivem.

“Ensinamos as crianças a identificar os problemas no bairro onde elas moram, para que procurem uma solução mais social de forma bem cooperativa junto com suas comunidades, bem como cobrar políticas voltadas para assuntos ambientais”, resume Franciedson Silva.

O projeto está sob o comando do inspetor da Guarda Municipal, Valterlan, qualificado como uma proposta da GMP a ser executada pelo Grupamento Comunitário Escolar, cuja atuação tem registros desde o início do ano passado, 2017, tendo se intensificado no segundo semestre deste ano, 2018, com prevenção à violência e à criminalidade.

“Esta parceria com o Ceap é de suma importância para a Guarda Municipal, pois possibilita levar às crianças alguma atividade extracurricular fora da sala de aula, para que elas possam ser nossos promotores de segurança cidadã e de cultura de paz, além das questões ambientais, possibilitando termos um ambiente equilibrado”, afirmou o inspetor, dando por importante que as crianças cresçam com a visão de parceiros.

Os alunos inseridos no projeto têm de 3 a 16 anos de idade, escolhidos dentro do critério das escolas, que retornam para suas escolas, suas casas, suas ruas e seu bairro, devendo ser multiplicadores do aprendizado recebido.

Ainda de acordo com Franciedson Silva, o projeto é uma base para servir de experiência para que possa sensibilizar as autoridades a criar em breve o projeto da Guarda Mirim de Parauapebas, que não deverá ser voltado apenas para caráter geral, como também de caráter específico, inserindo, por exemplo, a arte e a música para crianças e adolescentes em condições de vulnerabilidade.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu