Publicidade

Centro de Controle de Zoonoses previsto para ser entregue ano passado ainda não saiu do papel

A riqueza de uma das cidades mais promissoras de Pará se contrasta com imagens de animais abandonados nas ruas, principalmente cavalos, gatos e cachorros. O perigo é evidente para condutores de veículos, especialmente no período noturno em Parauapebas, ocasionando frequentemente acidentes.

Em busca de alimentos, os animais saem a esmo espalhando lixo, aumentando assim o risco de contaminação de várias doenças como micose, causada pelo contato com fezes de cães e gatos.


Em abril de 2013 foi anunciado que um Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) seria construído para cuidar dos animais em situação de abandono. “No próximo dia 25 haverá um processo licitatório para definir a empresa que construirá o Centro que ficará localizado na VS 10 próximo à PA – 160”, informou o diretor do Departamento de Vigilância em Saúde, Marcelo Monteiro.

De acordo com o diretor, a vacinação de cães e gatos é feita periodicamente e há anos que não é registrado casos de raiva. Em relação ao tratamento de cavalos a conduta do órgão é diferente. “Infelizmente não podemos fazer nada, esses animais têm donos, que por irresponsabilidade soltam nas ruas a partir da 18 horas e nos finais de semana, mas talvez no primeiro semestre de 2015 já teremos um local para colocá-los”, pontuou Marcelo.

Ainda de acordo com o diretor, doenças como leptospirose, transmitida pela urina de ratos é de responsabilidade da Vigilância em Saúde. “Até o momento nenhum caso foi notificado, temos um suspeito, mas ainda não foi confirmado.
Essa doença é combatida pela própria população com cuidados simples em relação ao acúmulo de lixo e entulho”, revelou.

A Vigilância aconselha que em caso de suspeita de qualquer uma das zoonoses, o indicado é procurar a Unidade de Saúde mais próxima e é altamente contraindicado tomar remédio caseiro e fazer automedicação.

Marcelo salientou que o local escolhido para a construção do Centro visa a acessibilidade das pessoas que queiram adotar os animais resgatados. “Os animais levados para o Centro de Controle não serão mortos, receberam o tratamento adequado, serão castrados sem dor e posteriormente postos a adoção”, explicou finalizando.

Reportagem: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar
Foto: Arquivo / Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu