Publicidade

Ciclo do Proerd inicia em escolas de Parauapebas

“Esta é uma das novas formas de atuação de responsabilidade social que as polícias militares do Pará e de todo o Brasil assumem com a sociedade, oferecendo às famílias, aos educadores e aos educandos capacitação com o objetivo de manter as crianças longe das drogas”, explicou o tenente-coronel Wilson, comandante do 23º Batalhão da Polícia Militar (BPM), na abertura do ciclo do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), que contempla três mil estudantes de duas escolas municipais em Parauapebas, Domingos Cardoso e Olga da Silva.

Ainda de acordo com o oficial da PM, o sucesso do Proerd se dá pelo fato de que uma criança bem orientada tem chances de ser um adulto melhor. Ele diz ter por planos comtemplar no próximo ano outras unidades de ensino.


Para a diretora da Escola Municipal Domingos Cardoso, Antonia Glaci, o ciclo vem em ótima hora, e reconhece que as crianças e adolescentes demonstram dificuldades de aceitar disciplinas e regras, o que dificulta o bom desempenho dos professores.

“Esta é uma excelente oportunidade para os alunos aprenderem boas orientações nas lições ensinando como as crianças devem se defender das drogas e de outras ciladas expostas”, reconhece a diretora, detalhando que o curso é desenvolvido no ambiente escolar para crianças na faixa etária dos 9 aos 12 anos do ensino fundamental.

O corpo de facilitadores do Proerd é formado por policiais militares voluntários que são selecionados e submetidos a treinamento especifico organizado em um curso de 80 horas/aula, especialmente treinados, que em encontros semanais de uma hora de duração na sala de aula desenvolvem o programa, utilizando cartilha especialmente criada para essa finalidade, que, além de estimular as crianças para resistirem às pressões ao uso de drogas, estreita o relacionamento polícia/cidadão.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu