Publicidade

Coluna do Lima Rodrigues – 29 de novembro de 2018

Foto: Reprodução

Encontro Ruralista em Belém

Agronegócio: após participar em São Paulo da InterCorte, o grande encontro da pecuária de corte, de 21 a 23 de novembro, participamos em Belém dias 27 e 28, ou seja, terça e quarta-feira desta semana, do 50º Encontro Ruralista do Sistema Faepa/Senar, que foi realizado no Palácio da Agricultura, no Bairro Nazaré. Fizemos a cobertura para o programa Conexão Rural, que produzo e apresento todo domingo na Rede TV de Parauapebas e de Marabá (PA).


O evento foi aberto na manhã de terça-feira pelo presidente da Federação da Agricultura do Estado do Pará, Carlos Fernandes Xavier, e contou com a presença do secretário de Estado de Desenvolvimento Agropecuário e da Pesca do Pará (Sedap), João Carlos Leão Ramos, o diretor-Geral da Agência de Defesa Agropecuária do Estado do Pará (Adepará), Luiz Pinto; o reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Marcel Botelho; o secretário Nacional de Articulação Social, Cláudio Ribeiro, e o Superintendente Federal de Agricultura – SFA/Ministério da Agricultura, Clésio Santana, além de diretores da Faepa e do ex-deputado e ex-secretário da Sedap, Giovanni Queiroz.

Programação

Constaram na programação oficial do evento apresentações sobre “Cenários Econômicos e Ações do Sistema CNA para promover a agropecuária”, “Mudanças no Cenário Político e Econômico do Brasil e Impactos no Agronegócio”, “Inovações Tecnológicas para a Pecuária de Corte”, “Senar, caminhos a seguir”, “Ferrogrão”, “Segurança no Campo”, “Sistema de Informações Agropecuárias”, “Projetos para o Fundo Amazônia”, “Sistema de Rastreabilidade Vegetal”, “Zonificação do Estado do Pará para a mosca da carambola”, “Defesa Sanitária”, “Sociedade Garantidora de Crédito”, “Demarcação de Áreas Indígenas e Quilombolas”, “A Questão Ambiental no Contexto do Novo Governo”, “Gestão Sindical e Programa Bem + Agro” e “Escrituração Fiscal Digital de Retenções e outras informações fiscais”.

O Encontro é considerado o maior evento de líderes sindicais do agro paraense e reúne, nesta edição, delegados representantes de 134 Sindicatos Rurais, coordenadores de 10 Núcleos Regionais, diretores, técnicos, palestrantes, autoridades e convidados em um objetivo comum: debater os desafios do novo momento e encontrar soluções para o Pará deslanchar sua produtividade, sustentabilidade, riqueza e segurança rural.

O potencial do Pará é enorme

O agronegócio contribui em média 21% para a composição do PIB dos municípios, representando a base econômica de grande parte deles e fonte de ocupação para parcela substantiva da população.
Com efeito, informações produzidas pela CNA, com base em dados da PNAD/FBIGE, de 2015, apontam que 42,68% dos trabalhadores do Pará, ou seja, 1.500.292 pessoas têm ocupação no agronegócio.

O Pará é hoje destaque na produção açaí, abacaxi, cacau, cupuaçu, mandioca, dendê, pimenta do reino, ocupando o 1º lugar no ranking nacional; de coco, que representa a 3ª maior do país; de limão (4ª posição nacional) maracujá e banana (5ª lugar), sem falar na produção crescente de soja, cuja produção já ultrapassa 1,5 milhão de toneladas e de milho, com produção superior a 1 milhão de toneladas, que vem ocupando áreas de antigas pastagens e de campos naturais.

Com relação à pecuária, tem o 5º maior rebanho bovino e o 1º de bubalino do país, sendo a cadeia produtiva da pecuária a que se apresenta mais estruturada, compreendendo 33 frigoríficos e 53 laticínios instalados.

Setor da agropecuária é o que mais emprega no estado do Pará

Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no dia14 de novembro mostram queda de 11,2% na taxa de desocupação no 2º trimestre (finalizado em junho), para 10,9% no 3º trimestre, o que corresponde a aproximadamente 11 mil pessoas que saíram da desocupação.
Esses dados fazem parte da pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua, que destacou ainda os setores que mais empregaram no Pará, como por exemplo, o setor da agropecuária (25 mil pessoas), o da administração pública (12 mil pessoas), o da construção civil (6 mil pessoas) e o do comércio (6 mil pessoas) no mesmo período.
Apesar da queda da desocupação no Pará, alguns setores como o de transporte, armazenagem e correio (responsável, por exemplo, pelo transporte de passageiros e mercadoria) desocupou cerca de 30 mil pessoas e o da indústria geral desocupou 17 mil pessoas, ambos do mesmo período.

(Fonte: assessoria de imprensa da Faepa).

Convite

Fomos a Belém com o apoio do pecuarista e advogado Geraldo Pedro Oliveira e de seu pai, o médico Joaquim Martins, da Queijaria Cosa Nostra; do presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Canaã dos Carajás (PA), Carlos Mariano, e da Hiper Massa – Indústria de Argamassa, do meu amigo Wesley Martins, localizada no bairro Nova Carajás, em Parauapebas (PA).

Queijaria Cosa Nostra

A Queijaria Cosa Nostra vem se destacando no sudeste do Pará na produção de queijo de búfala. No Sítio Açaizal, na área da Vila Cedere I, no município de Parauapebas (PA). A família do Dr. Joaquim cria búfalos, faz inseminação, aumenta a produção a cada ano e expande a venda de derivados do leite. E tudo isso com o Selo de Inspeção Estadual.

Segundo o administrador do sítio, o pecuarista Pedro Oliveira, “o empreendimento é desenvolvido em apenas 7.3 hectares, ou seja, 7.300 metros quadrados, onde a nossa família produz de 150 a 300 litros de leite por dia, tudo transformado aqui mesmo em queijos mozzarella, coalho, Minas Frescal Comum e Minas Frescal Temperado”.

Por esta dedicação e qualidade, a Queijaria Cosa Nostra ficou na lista tríplice dos destaques em 2018 no agronegócio paraense do Prêmio Agropará, que foi entregue na noite de terça-feira na sede da Federação das Indústrias do Estado do Estado do Pará (Fiepa).

Foi um grande resultado, levando em conta que foram analisadas 30 indicações em todo o estado do Pará. Os três finalistas foram: Marcus Pinheiro – Salvaterra, Ilha de Marajó (vencedor), Geraldo Pedro de Oliveira, Sítio Açaizal, Parauapebas e Projeto Promebull – Embrapa, zootecnista Ribamar Marques. O Sítio Açaizal foi representado na cerimônia, realizada no auditório Albano Franco – da Fiepa, pela a esposa do Dr. Joaquim, Lúcia Margarida Costa Campos.

O Prêmio

Considerada o “Oscar” do agronegócio no Estado, a premiação é promovida pelo DIÁRIO DO PARÁ com o objetivo de reconhecer os empreendedores e as atividades que mais investiram no setor. Em sua quarta edição, o projeto cresce em competitividade e na representação de setores e regiões que fazem do agronegócio uma atividade econômica presente em todo o Estado.
Este ano 51 indicados concorreram em 18 categorias. Na avaliação do consultor do prêmio, o zootecnista Guilherme Minssen, o evento já se tornou o maior das regiões Norte e Nordeste. Segundo ele, houve categorias com mais 30 indicados para se chegar à lista tríplice. “Além disso, há uma forte representação de todos os segmentos produtivos em nível igual de importância. O Pará está conhecendo um novo Estado, que vem do campo”, destacou.
O agronegócio brasileiro é responsável por grande parte da economia do país, representando mais de 20% do Produto Interno Bruto (PIB) e por metade das exportações. Além da importância econômica, o setor causa forte impacto social na geração de emprego e no abastecimento das casas brasileiras. O diretor geral do Grupo RBA, Camilo Centeno, lembra que o agronegócio teve e continua tendo um papel essencial no País nos momentos de recessão e crise, o que credita aos produtores um valor inimaginável. “O setor agrícola é valoroso e merece todo o nosso apoio. O Pará é rico e precisa de trabalhadores como estes”, comentou Centeno.

EXPECTATIVA

O evento gerou uma grande expetativa entre os que disputavam o troféu de melhores do ano. A maioria considera a ocasião um momento festivo de reconhecimento de quem contribui para o desenvolvimento econômico e social do Brasil. O engenheiro agrônomo e reitor da Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Marcel Botelho, foi o vencedor na categoria Técnico Destaque em Agronegócios no Pará 2018. (Com informações de Leidemar Oliveira /Diário do Pará).

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu