Publicidade

Confusão na Palmares II termina com crânio esmagado com pedra e morte

Foto: Wilson Dias

Uma confusão por conta de um aparelho celular supostamente furtado em um ambiente de festa na Vila Palmares II, em Parauapebas, resultou em homicídio na madrugada de domingo (5), por volta de 1 hora da manhã. O autor do crime, o braçal Paulo Almeida da Silva, de 24 anos, está preso.

A reportagem apurou junto a Polícia Civil que Paulo Almeida assassinou Miguel Ferreira Rodrigues dos Santos ainda no interior do Boteco Imperial, onde ambos se divertiam em uma festa. Miguel Ferreira e um colega acusaram Paulo do furto de um celular e em determinado momento, Miguel golpeou Paulo com uma terçadada nas costas.


Paulo alegou que, para se defender, acertou um soco no rosto de Miguel e ao vê-lo caído, observou uma pedra nas proximidades, pegou-a e acertou na cabeça da vítima. A morte foi instantânea.

Após cometer o homicídio, ferido, Paulo procurou socorro no Hospital Geral de Parauapebas (HGP), onde recebeu cuidados médicos e logo depois foi preso pela Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar.

 

Já na Delegacia de Parauapebas, o assassino alegou à reportagem que matou para se defender. “Eu tinha que me defender deles. Me acertaram com um facão nas costas. Sou trabalhador, roço juquira e bato veneno na roça, só tinha ido me divertir e tudo acabou nisso”, conversou Paulo que continuará preso à disposição da justiça e foi autuado por homicídio no inquérito policial.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu