Publicidade

Conheça detalhes do jardim da Câmara de Parauapebas que custa R$ 354.610,00 por ano

A atual presidência da Câmara Municipal de Parauapebas, comandada pelo vereador Professor Josineto Feitosa (SDD) volta a ser palco reclamações e críticas por parte de populares em geral.

Desta vez, o que vem chamando atenção e gerando indignação de populares foi um contrato de autoria da Câmara Municipal de Parauapebas, que foi publicado pela presidência da Casa de Leis no dia 21 de julho, onde a Câmara Municipal de Parauapebas publicou no Diário Oficial do Estado (Doepa) o extrato do Pregão Presencial Nº 9/2014-00010, o qual dá mostras de que o Legislativo está bastante preocupado com o meio ambiente.


Embora a maior parte de sua área não construída, seja encimentada, com dois espaços distintos para estacionamentos, a gestão atual se arvorou em contratar uma empresa para cuidar de seus jardins. Isso mesmo, e para essa missão tão complexa, vai gastar a bagatela de R$ 354.610,00 em um ano. Pelo alto valor, o leitor comum há de imaginar que se trata dos jardins suspensos de Babilônia e não da Câmara Municipal de Parauapebas, um verdadeiro colosso de concreto.

A finalidade do contrato da Câmara de Parauapebas com a empresa que vai cuidar de seu jardim, segundo publicado no edital, é a contratação dos serviços de jardinagem e manutenção de paisagismo, incluindo o fornecimento de mudas de plantas, mão de obra, materiais de consumo, insumos, pulverização preventiva e corretiva contra pragas, e areação do solo, adubação orgânica (inodora), irrigação, poda, limpeza de ervas daninhas, retirada de lixo orgânico, reposição de plantas ornamentais e mudas de forração, tudo “para atender as necessidades da Câmara Municipal de Parauapebas”.

A empresa que ganhou a licitação para executar os serviços de jardinagem é a Átomos Eletricidade Ltda, sediada na Rua do Comércio, Nº 1, que pelo nome parece ter muita experiência com materiais elétricos. Será que os jardins suspensos terão um toque de modernidade e serão iluminados?

Só pra finalizar, a implantação do espaço verde da Câmara Municipal de Parauapebas custou apenas R$7 mil à gestão anterior. Isso mesmo, apenas R$7 mil. Será que Josineto Feitosa, o presidente que aceitou pagar R$354 mil para que uma empresa cuide, por um ano, de um jardim que custou R$7 mil para ser construído poderia explicar como é que se deu isso? Será que existe alguma justificativa?

Reportagem: Ulisses Pompeu / Bariloche Silva
Fotos: Bariloche Silva

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu