Publicidade

Conselhos discutem reforma administrativa em Parauapebas

A primeira de várias plenárias com o objetivo de discutir a Reforma Administrativa do Governo Municipal de Parauapebas ocorreu na noite de quarta-feira, 25, no CDC onde foram representados vários segmentos reunidos através dos respectivos conselhos.

O convite foi feito de forma timina através das redes sociais e via ofício à imprensa, e aos poderes executivo e legislativo, mas não se registrou a presença de nenhum representante oficial destes poderes, exceto a vereadora Eliene Soares (PT), que também se manifestou contrária ao modelo da reforma.


Comungando da mesma opinião, Conselhos da Juventude, de Cultura, de Habitação, de Juventude, de Esporte, da Mulher; Movimento Anula Brasil, Liga de Hip-hop, Sintepp, assessores parlamentar e empresários revezaram nas falas e todos qualificaram o fato como “regressão”.

Segundo os organizadores da plenária foi pedido ao Poder Executivo informações detalhadas sobre a Reforma Administrativa, mas nada foi disponibilizado; as poucas informações recebidas não oficialmente dão conta de que a reforma extinguirá secretarias que formarão blocos fundindo em outros blocos, com o objetivo de promover o enxugamento da máquina com o corte de gastos e a alternativa que o governo encontrou é a fusão de secretarias.

Com a mudança a SEMEL (Secretaria Municipal de Esportes e Lazer), passará a ser Secretaria de Cultura Esporte e Lazer, além de agregar a Coordenadoria da juventude. A SEMMU (Secretaria Municipal da Mulher) seria extinta, fundindo-se com a SEMAS (Secretaria Municipal de Assistência Social) que viraria Secretaria Municipal de desenvolvimento Social. Enquanto que a atual SEDEN (Secretaria Municipal de Desenvolvimento) seria transformada em uma nova pasta agregando vários departamentos e coordenadorias voltando ao modelo antigo de quando era SEMAC (Secretaria Municipal de Assuntos Comunitários).

Girlan Pereira, moderou as discussões e lembrou que muitas secretarias foram criadas pela mobilização popular e, em sua opinião, nenhuma foi feita apenas por ser bonita, mas pela eminente necessidade. Depois de quase duas horas de discussão foram feitos os encaminhamentos de acompanhamento da Reforma Administrativa na Câmara e juntos aos movimentos e conselhos municipais responsáveis pelo controle social; agora aguardam-se as próximas plenárias para continuar e amadurecer as discussões.

Reportagem e foto: Francesco Costa

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu