Publicidade

CPI da Vale aponta que mineradora deve mais de R$ 2 bilhões à Prefeitura de Parauapebas

Solicitada pela maioria dos vereadores da Câmara de Parauapebas e instaurada no dia 27 de outubro deste ano, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) investiga se houve adulteração nos valores declarados pela mineradora Vale em relação a diferenças de preços nas demonstrações financeiras realizadas em Parauapebas, um dos municípios que mais produzem minério do mundo.

Os vereadores integrantes da CPI, José Pavão (SD), Euzébio Rodrigues (PT), Joelma Leite (PT), Zacarias Marques (PP) e Marcelo Parceirinho (PMDB) falaram do andamento das investigações durante uma coletiva de imprensa realizada na tarde desta quarta-feira (23).
“Não estamos pedindo esmola, nem vantagens, queremos que a Vale cumpra seus deveres”, ressalta Marcelo Parceirinho.

Saraiva publicidade

De acordo com as investigações, a mineradora deve pelos menos dois bilhões de reais em impostos para o município, mas os valores podem ser maiores uma vez que a extração é contínua.

O presidente da CPI, vereador Pavão disse que não existe a possibilidade de que os trabalhos terminem em “pizza”. “A CPI está protocolada no Ministério Público e nos demais órgãos competentes. Não tem como voltar atrás”, afirma.

Ainda não há parecer jurídico a respeito do andamento das investigações, e ainda de acordo com os vereadores, há a possibilidade de pedir apoio aos deputados estaduais para que sejam cumpridas as determinações e o débito seja quitado.

As investigações da Comissão serão temporariamente paralisadas durante o recesso de final de ano, devendo retornar em fevereiro de 2016. O prazo para averiguação dos fatos será de 180 dias a contar da data de instalação e, os dias paralisados não serão contados, haja vista que todas as esferas da Justiça no país também entram em recesso.

Reportagem: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu