Banner Educar


Curso de capacitação para mulheres vai até sexta-feira (9)

Curso de capacitação para mulheres vai até sexta-feira (9)

Teve início na manhã desta segunda-feira (5), no Centro Universitário de Parauapebas (Ceup), e vai até a próxima sexta-feira (9), um curso de capacitação destinado a representantes de órgãos e instituições voltados à defesa dos direitos da mulher.

A capacitação é uma iniciativa da Secretaria Municipal da Mulher (Semmu), em parceria com a Coordenadoria Especial de Promoção dos Direitos da Mulher (CEPDM), do Governo do Estado.

De acordo com a titular da Semmu, Terezinha de Jesus Santos, após o curso vai ocorrer programação alusiva sobre a Blitz das Flores, no dia 23, e a Copa Maria da Penha, dia 24, envolvendo municípios paraenses, com o tema “Dê um chute na violência”.

Para Fátima Matos, vice-presidente do Conselho Estadual do Direito da Mulher, a realização da capacitação é fruto de todas as lutas de movimentos de mulheres, de décadas e décadas, em benefício da transformação da sociedade em defesa do segmento feminino.

Programação

Após a abertura do curso, a coordenadora da CEPDM, Maria Trindade Tavares, ministrou aos presentes, das 9 às 10 horas, palestra denominada “Política estadual para mulheres”, apresentando o II Plano Estadual de Políticas para as Mulheres, com base no II Plano Nacional para as Mulheres; Pacto Nacional pelo Enfrentamento à Violência contra a Mulher; e as ações da Secretaria de Estado de Justiça e Promoção dos Direitos da Mulher.

No período das 10 às 13 horas, a delegada de Polícia Civil, Maria Regina Cardoso Rodrigues, abordou o tema “Violência doméstica e familiar”, discorrendo sobre o processo de criação da Lei Maria da Penha (LMP), um novo olhar sobre a problemática; LMP: avanços significativos e mudanças previstas; e os limites e desafios para a aplicabilidade da LMP no Brasil.

Na parte da tarde, no horário das 14 às 18 horas, a delegada voltou a ministrar palestras, desta vez sobre “Tráfico de mulheres”, enfocando tráfico de pessoas, conceitos e legislação; a questão da prostituição forçada e voluntária de mulheres; as vítimas e os agressores; dados estatísticos e a rota do tráfico; e onde e como atender às vítimas.

Para esta terça-feira (6), no período das 8 às 13 horas, Glaucy Learte da Silva, mestra em ciências sociais, apresenta o tema “Gênero e violência doméstica, familiar e sexual contra a mulher”, discorrendo sobre relações de gêneros e violência contra a mulher: conceitos, mitos e a interseção gênero, classe, raça/etnia na compreensão da violência.

De 14 às 16 horas, a facilitadora dará continuidade ao tema acima, apresentando dados estatísticos sobre a violência contra as mulheres no mundo, país e estado; e violência de gênero e direitos humanos (normativas nacional e internacional).

Para quarta-feira (7), das 8 às 13 horas, consta na programação do curso palestra da psicóloga (especialista em educação) Maria de Nazaré Palheta e Silva sobre o tema “A violência contra a mulher como uma questão de saúde pública”, ensinando como identificar e atender situação de violência contra a mulher nos serviços de saúde; norma técnica de prevenção e tratamento dos agravos resultantes da violência sexual contra mulheres e adolescentes; e ficha de identificação compulsória na rede.

À tarde, no período das 14 às 16 horas, Maria de Nazaré apresenta o tema “Apoio psicossocial à mulher em situação de violência”, questionando por que as mulheres aguentam tanto tempo uma situação de violência – um olhar longe do senso comum; tipos de violências e as consequências físico-mentais na vida das mulheres; e atendimento às vítimas: aspectos específicos do acolhimento, escuta e apoio psicossocial às vítimas.

No penúltimo dia da capacitação, quinta-feira (8), pela manhã, os treinamentos ficam por conta de Eugênia Sandra Pereira, coordenadora do programa Pro Paz Mulher, com o tema “Rede de assistência à mulher em situação de violência”, abordando o conceito de rede de atendimento e os desafios e avanços da rede na construção e consolidação da rede serviços para a mulher em situação de violência.

Na parte da tarde, Eugênia Pereira dará continuidade ao tema citado acima, falando de identificação e construção do fluxo da rede local: os serviços especializados e não especializados (casas abrigos, centros de referência, promotoria, defensoria, juizados, delegacias, Cras, Creas, serviços de saúde etc.).

Consta na programação do último dia do curso (sexta-feira), pela manhã, palestra com Maria Lindalva, membro do Conselho Estadual da Mulher, sobre “Participação popular e controle social: uma ação para o fortalecimento da rede”; e à tarde o tema “Centro de Referência para o Atendimento à Mulher em Situação de Violência” por representante da Coordenadoria do Centro de Referência de Atendimento à Mulher em Situação de Violência.

Reportagem: Waldyr Silva / Foto: Irisvelton Silva

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!