Publicidade

Em Marabá, DJ é executado antes de chegar em casa noturna

Carlos Felipe Ferreira da Silva, conhecido como “DJ Felipe”, se deslocava para tocar na inauguração da própria casa noturna, na Folha 05, quando foi executado a tiros nesta madrugada, terça-feira (5), na Folha 11, Nova Marabá. Além de tocar na noite e ser sócio de duas casas noturnas da cidade, Felipe também animava de segunda a sexta o programa “Frequência Máxima”, junto de Leverson Oliveira, entre 18h e 19h, na Rádio Correio FM. Aos sábados, fazia o “Na Levada do Brega”, entre 18h e 22h.

Nesta manhã, a delegada Raíssa Beleboni, titular do Departamento de Homicídios da Polícia Civil, informou que a equipe que investiga o caso não possui informações sobre o histórico da vítima ou sobre os possíveis motivos do crime.

“Apesar da intensa movimentação de pessoas no local, poucas informações foram colhidas. Apuramos que ele estava chegando na festa, sozinho num carro, quando uma motocicleta com duas pessoas se aproximou. Ele tentou sair com o veículo, mas bateu o carro, desceu, conseguiu correr por alguns metros, mas foi fatalmente atingido e caiu embaixo do caminhão”, disse, em entrevista coletiva concedida há pouco na 21ª Seccional Urbana de Polícia Civil.


A delegada ressaltou que a Polícia Civil também não sabe, ainda, quantos disparos foram efetuados, porém foi uma grande quantidade e os primeiros levantamentos levam a crer que tenham sido realizados ao menos 10 disparos de pistola calibre 380.

‘TIROTEIO’

Segundo o sargento Salatiel, da Polícia Militar, uma das primeiras autoridades no local do crime, uma pessoa acionou o Núcleo Integrado de Operações Policiais (Niop-190) pouco antes da 1 hora informando sobre um ‘tiroteio’ no bairro.  “Chegando aqui tinha um carro abandonado com as portas abertas e vestígios de sangue. Populares informaram que ele tinha corrido em direção à Folha 07 e que havia entrado na madeireira”, relatou.

Os militares foram ao local – cuja frágil porta havia sido arrebentada – e localizaram o corpo do DJ embaixo de um caminhão. Segundo o tenente Aureliano, que também atendeu à ocorrência, a Polícia Militar foi informada que Felipe conduzia seu veículo quando passou a ser perseguido pela dupla na motocicleta. Os primeiros tiros foram desferidos contra o automóvel. “Ele conseguiu sair do carro e chegou a correr, mas os indivíduos correram atrás e ele acabou caindo aqui nessa madeireira”.

Ali perto, na Folha 05, está localizada a casa noturna que ele estava inaugurando na noite de ontem, mas que já estava abrindo as portas às segundas e terças há pouco mais de um mês.

Felipe também era sócio de outra casa, na Folha 16.  “A Dubai (Folha 05) era o novo projeto dele. Ele já tinha comprado uma nave em Belém e ia estruturar toda essa casa. Também tocava na Girus (Folha 16), onde era sócio. A Dubai ele abriu há dois meses”, conta Leverson Oliveira, colega de trabalho na rádio Correio FM.

Ainda conforme Oliveira, Felipe era pai de três filhos e o corpo dele será sepultado em Mosqueiro. Familiares do DJ estão se deslocando de Belém e devem chegar em Marabá ainda nesta manhã. “A gente trabalhou muito tempo na FM 91, durante quatro anos, depois passamos para a Correio FM, fazendo o Frequência Máxima e Na Levada do Brega”, acrescentou.

INVESTIGAÇÃO

A equipe do Departamento de Homicídios esteve no local do crime, assim como o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, que colheu evidências e removeu o corpo para o Instituto Médico Legal (IML). A delegada Raíssa Beleboni destacou que, apesar de estar ocorrendo a festa às proximidades, poucas pessoas mantiveram contato com a Polícia Civil para fornecer detalhes sobre o ocorrido.

Informações sobre o crime, a motivação ou mesmo a autoria da execução podem ser repassadas na sede do Departamento de Homicídios, na Seccional de Polícia Civil, na Folha 30, ou mesmo pelo Disque Denúncia Sudeste do Pará, que garante o anonimato e atende pelo aplicativo, pelo telefone (94) 3312-3350 ou através do Whatsapp (94) 98198-3350.

Reportagem: Luciana Marschall – com informações de Josseli Carvalho e Evangelista Rocha / Grupo Correio de Comunicação

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu