Publicidade

Empresários se reúnem e debatem possível calote de R$ 6 milhões da D’Service

Reunidos ontem, 29, no auditório da ACIP, (Associação Comercial, Industrial e Serviços de Parauapebas), vários empresários discutiram a situação de inúmeros outros em situação de preocupação, desespero e indignação com a falta de compromisso de empresas de fora, que são contratadas direta ou indiretamente para prestarem serviços ou fornecer produtos para a Mineradora Vale, surpreendidos com o possível calote que a empresa de Belo Horizonte, Minas Gerais, a D’Service, poderá dar a fornecedores locais, seus credores.

E em face de que há alguns meses, a Vale firmou acordos para pagamento, considerando os créditos que a D’ Service “tinha ou tem” com a Vale; o pagamento foi executado, porém para apenas alguns credores. São 39 o número de credores da D’Service que agora lutam para receber um valor que se aproxima de R$ 6 milhões.


“Tentamos contato com a D’ Service, o diretor admite a dívida, mas não explica quando e como vai pagar; transferindo a culpa para a mineradora Vale alegando ter créditos com a mesma”, conta Cleiton Borba, diretor da empresa Borba Transportes, Locações e Serviços.

Na reunião de ontem o grupo ganhou força e através de convocação direta espera reunir todos os 39 credores para pressionar tanto a mineradora quanto a D’ Service a discutir e efetuar o pagamento aos credores.
A discussão será feita na Assembleia Geral Ordinária, convocada com urgência para o dia 6 de fevereiro, quinta-feira, as 19h, no auditório da ACIP cuja pauta será:

1 – Levantar todo débito da D’ Service na praça;
2 – Requerer da Vale que não faça pagamentos a D’ Service, pelo menos até que quite todas as dívidas na praça;

O grupo espera ganhar o reforço do Ministério Público; Poderes Executivo e Legislativo; e sindicatos que representem trabalhadores que também foram lesados pela empresa.

Fonte: Assessoria de Comunicação e Imprensa da ACIP

 

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu