Publicidade

Enquanto obras do presídio de Parauapebas estão lentas, Carceragem do Rio Verde está em péssimas condições

Uma bomba prestes a explodir a qualquer momento, assim é situação da Carceragem Municipal que fica localizada no bairro Rio Verde em Parauapebas. O local é inadequado para receber um número tão grande de presos da Justiça e os problemas estão por todos os lados.

Na semana passada, membros do Conselho Municipal da Comunidade de Parauapebas, que é composto por várias entidades e instituições públicas, fizeram uma visita de rotina nas dependências da carceragem e viram de perto que a situação do prédio e outras várias questões não é a das melhores.


Munidos de documentos para acompanhamento na vistoria, os membros do Conselho da Comunidade foram recebidos pela diretora da Susipe em Parauapebas, Nilcélia de Souza Silva, mais conhecida como Mayra, conversaram com funcionários da carceragem, ouvirem detentos e conheceram de perto as celas usadas pelos presos de Justiça.

De acordo com os representantes do Conselho da Comunidade, as visitas à carceragem serão mensais.

Nova cadeia pública
Desde o ano passado o Governo do Estado, liderado por Simão Jatene (PSDB), iniciou as obras da nova cadeia pública de Parauapebas, que está sendo construída em uma área doada pela Prefeitura de Parauapebas nas proximidades da VS-10, porém, as obras estão em atraso total, já foram paralisadas por mais de duas vezes e não tem se quer previsão da data de inauguração.

O projeto arquitetônico da nova unidade prisional prevê o monitoramento dos detentos da mesma forma como já ocorre em Breves-PA e nos projetos das novas unidades de Santarém-PA, onde os agentes penitenciários fazem a vigilância e abertura das celas a partir do andar superior do presídio. As lajes de cobertura seguem uma concepção arquitetônica que proporciona conforto térmico tanto para os internos quanto para os agentes.

Também pelo andar superior, os agentes contarão com pontos estratégicos de observação do solário, espaço destinado ao banho de sol dos internos, possibilitando uma visão ampla do espaço. Os alojamentos dos agentes prisionais são separados por gêneros, e também estarão no segundo andar da unidade prisional, com banheiros e uma área de refeitório.

Os internos que estiverem custodiados na nova unidade prisional de Parauapebas receberão assistência em diversos serviços, como atendimento odontológico e ambulatorial, consultórios médicos, enfermaria, assistentes sociais, psicólogos, espaços destinados ao atendimento da Defensoria Pública, biblioteca, laboratório de informática, salas de aula e áreas de visitação e lazer para crianças.

Pelo projeto, tudo é lindo, agora resta saber se as obras irão ser finalizadas, afinal, a população de Parauapebas, principalmente os que moram nas proximidades da Carceragem do bairro Rio Verde estão apreensíveis, e com razão, afinal, as fugas de presos por lá são cada vez mais comuns.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu