Banner Educar


Exposição “Serra Pelada – Esperança Dourada” chega à Parauapebas

Exposição “Serra Pelada – Esperança Dourada” chega à Parauapebas

Depois de brilhar virtualmente e ser destaque nacional com participação no Programa Encontro com Fátima Bernardes, da Rede Globo, a “Exposição Serra Pelada – Esperança Dourada”, do fotógrafo Anderson Souza, chega à Parauapebas nesta sexta-feira (16), a partir das 19 horas no Partage Shopping.

Os registros fotográficos retratam garimpeiros que ainda moram em Serra Pelada e nutrem a esperança de conseguir riquezas com o ouro. “Meu pai sacrificou a vida e a família. Construiu um patrimônio para perder tudo, igual a praticamente 90% de todos os garimpeiros de lá”, lembra o fotógrafo ao contar da sua motivação em fazer os registros.

Em novembro do ano passado a agência de publicidade Griffo Comunicação convidou Anderson Souza para fazer uma exposição virtual dessas fotografias e assim surgiu Esperança Dourada. Agora o fotógrafo pretende levar a exposição para algumas cidades começando por Parauapebas.

“A intenção é tentar desmistificar um pouco aquela imagem de ‘homens formigas’, mostrar o cotidiano atual e o que restou de Serra Pelada”, explica o Anderson Souza, que considera o trabalho um grande desafio, já que conhece cada um dos seus personagens pessoalmente. “Tenho uma relação muito próxima com a comunidade de Serra Pelada. Eu convivi com eles e sou testemunha da esperança que eles mantêm firme no peito”.

Além das fotografias, quem for prestigiar a exposição no Partage Shopping também poderá assistir um documentário, produzido pelo Portal F5, com depoimentos dos garimpeiros fotografados por Anderson Souza.

Serra Pelada

A corrida do ouro em Serra Pelada, no início da década de 80, inspirou várias produções audiovisuais e fotográficas, a maior parte relatando as condições sub-humanas de milhares de homens que trabalhavam no garimpo, retratado como um ‘formigueiro humano’, imagem que correu o mundo.

Anderson Souza

O fotógrafo Anderson Souza tem conquistado destaque com seus registros na linha da fotografia documental. A Exposição Povo Xikrin do Kateté, que retratou interferências da cultura do homem branco no cotidiano dessa comunidade indígena, foi para Ferrara, na Itália. O coletivo de fotografia Everyday Brasil selecionou uma dessas foto para exposição no Irã, em Maio do ano passado, na cidade de Golshahr. Outra foto foi selecionada para a Mostra São Paulo de Fotografia.

E todo esse envolvimento com a fotografia iniciou em Serra Pelada, quando Anderson Souza residia na localidade. “Eu me apaixonei pela fotografia documental de Serra Pelada feita por Sebastião Salgado, isso despertou o interesse por seguir essa linha de trabalho”, relatou o fotógrafo que credita boa parte do seu aprendizado à experiência como assistente de Eugênio Morales Montoya.

“Mineradoras contrataram o Eugênio para fazer fotografia na região, isso em 2007. Paralelo ao seu trabalho corporativo ele fazia registro documental de Serra Pelada, eu o conheci e ele me convidou para ser seu assistente, trabalhei seis meses ao seu lado e aprendi muitas técnicas e os conhecimentos essenciais de fotografia”, acrescentou Anderson Souza.

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!