Publicidade

Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação atrai representantes de 18 estados brasileiros e de três países

Iniciada na última terça-feira (13) e encerramento previsto para as 18 horas desta sexta-feira (16), com solenidade de entrega de premiação de bolsas de estudos para os expositores que mais se destacarem com seus projetos de inventos, a Feira de Parauapebas de Ciência, Tecnologia e Inovação (Fepacti), organizada pela Prefeitura Municipal, por meio da Secretaria Municipal de Mineração, Energia, Ciência e Tecnologia (Semmect), trouxe a Parauapebas representantes de 38 municípios paraenses, 18 estados brasileiros e três países (Chile, Uruguai e Paraguai), que trouxeram suas experiências na área de tecnologia.

De acordo com Russel Brasil, coordenador geral da Fepacti, esta é segunda feira de ciência realizada este ano pela Semmect. A primeira ocorreu dia 31 de agosto deste ano, como feira municipal. Agora, o evento ganha o status de regional, estadual, nacional e até internacional.

Saraiva publicidade

“O objetivo maior da feira é apresentar projetos de pequeno custo que possam proporcionar bem-estar a um grande número de pessoas”, destaca Russel Brasil, otimista com a participação dos expositores e do público local, que está prestigiando o evento.

Biodigestor – A estudante July Monteiro, do curso de Tecnologia Alimentos do Instituto Federal do Amapá (Ifap), veio de Macapá para apresentar um projeto inovador: biodigestor de resíduos de pescado.

À reportagem do Portal Pebinha de Açúcar, July Monteiro explicou que se trata de um projeto de gestão de resíduos, com construção de biodigestores criado na escola estadual Maria do Carmo Viana dos Anjos, de Macapá, que visa tratar os resíduos oriundos de feiras de pescados.

“Visitamos algumas feiras de peixes na periferia de Macapá e verificamos que os resíduos dos pescados eram descartados nos arredores das feiras, atraindo vetores de doenças e bichos como urubus, cachorros e outros animais. Diante do levantamento preocupante, com relação à saúde da comunidade, produzimos esses biodigestores para dar um final adequado aos resíduos de pescados, utilizando material reciclável, como, por exemplo, garrafões de 20 litros que comercializam água mineral, e câmeras e pneus usados de veículos, além de tubos e torneiras”, explica a criadora do projeto, acrescentando que cada biodigestor custa, em média, R$ 30,00.

Indagada sobre o processo de funcionamento da invenção, a estudante July Monteiro respondeu que o processo de reciclagem consiste na coleta dos resíduos nas feiras, que são moídos e misturados com água, na proporção de um para um, ou seja, 10 litros de água para dez quilos de resíduos.

“O resultado é colocado no biodigestor, onde permanece por cerca de 30 dias, tempo para produzir gás metano, que pode ser substituído pelo gás butano, conhecido como gás de cozinha; biofestilizante, que é o produto líquido; e a biomassa, que pode ser usada como adubo”, finaliza a estudante.

Suporte para celularVictória Albuquerque Sampaio, aluna do 1º ano da escola de ensino médio Janela para o Mundo, em Parauapebas, também apresentou sua invenção na feira de ciência. Ela desenvolveu um suporte para celular que serve tanto para pessoas com deficiência em seus membros superiores como para pessoas normais.

“O suporte é bastante prático, com rotação da telinha em 360 graus e regulação de tamanho de acordo com a altura do usuário. Nossa presença aqui na feira é mostrar para sociedade que somos capazes de criar facilidades para melhorar nossas vidas e a vida do próximo”, destaca Victória Sampaio.

Daniele Costa, coordenadora do Centro Universitário Leonardo da Vinci (Uniasselvi) em Parauapebas, colabora também com a Feira de Parauapebas de Ciência, Tecnologia e Inovação, coordenando ciclo de palestras que acontecem simultaneamente com a feira no polo da Uniasselvi.

“A Uniasselvi oferece cursos de graduação, licenciatura, tecnólogo e bacharelado, e se apresenta como um norte para os estudantes do município, em especial para os que estão concluindo o ensino médio, orientado estes alunos quanto à escolha de cursos superiores”, frisa Daniele Costa, revelando que no final do evento a Uniasselvi vai entregar uma bolsa integral de graduação para o aluno que mais se destacar na apresentação de seu trabalho na feira.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu