Publicidade

Fiepa e Vale assinam convênio para maximizar compras locais

 

“O Pará lidera os estados da Região Norte com o maior volume de investimentos. Vamos receber importante volume de recursos, os quais, em sua maioria são provenientes da iniciativa privada. Precisamos que os empreendimentos trabalham mais em parceria com as empresas locais, pois nosso desenvolvimento depende da interiorização das riquezas. Não basta apoiarmos grandes projetos no sentido de facilitar a instalação em solo paraense. É preciso aumentar a interação desses com os fornecedores locais”, enfatizou o presidente da Fiepa, José Conrado Santos.

Saraiva publicidade

A assinatura do projeto Maximização de Compras Locais, entre a Fiepa e Vale, será nesta terça-feira, 21, às 17h, na sede da Federação. O projeto será um piloto para que a Fiepa, por meio da Rede de Desenvolvimento de Fornecedores do Pará (Redes), possa replicar com outras grandes empresas, responsáveis pelos empreendimentos industriais que se instalam em território paraense.

“O projeto vai servir como modelo para trabalharmos de forma mais estruturada na maximização das compras locais, internalizando os recursos provenientes dos grandes empreendimentos”, ressaltou o coordenador da Redes, Luiz Pinto.

Ao longo de 12 anos de atuação, a Redes aumentou em 175% as compras locais. Em 2000, os grandes projetos consumiam apenas 19% dos fornecedores locais. No ano passado, o diagnóstico da Redes apontou que os empreendimentos instalados no Pará já consumiam 51% das empresas genuinamente paraenses.

O diretor-presidente da Alpa, João Coral, que também é diretor global de Energia da Vale, é quem vai assinar o convênio com a Federação das Indústrias. A parceria permitirá que a Redes, com base em levantamento de demandas prioritárias da Vale, faça um mapeamento e diagnóstico dos fornecedores locais, consultando todas as empresas credenciadas nas Associações Comerciais dos quatro municípios que receberão os investimentos da mineradora (Marabá, Parauapebas, Curionópolis e Canaã dos Carajás).

Após a fase das consultas in loco, a Redes deverá entrevistar 1.700 fornecedores, será feito um plano de trabalho no sentido de habilitar as empresas locais para fornecerem bens e serviços a Vale, conforme o nível de exigência da mineradora.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu