Publicidade

Helder Barbalho se omite sobre criação do Estado do Carajás

O candidato do PMDB ao governo do Estado, Helder Zaluth Barbalho, foi o entrevistado de ontem do jornal Liberal 1ª Edição, da TV Liberal, afiliada da Rede Globo. Entrevistado pelos jornalistas Fabiano Vilela e Priscila Castro, Barbalho voltou a se esquivar das perguntas e, mais uma vez, não respondeu se é a favor ou contra a divisão do Estado do Pará, com a criação dos estados do Tapajós e de Carajás. Também não deu explicações sobre as obras inacabadas que deixou em Ananindeua, município administrado por ele durante oito anos, de 2004 a 2012.

Apresentando-se em seus programas como a nova solução para os problemas do Pará, Barbalho foi questionado pelos jornalistas quanto à própria experiência, uma vez que o candidato é filho do ex-governador e atual senador Jader Barbalho e da deputada federal Elcione Barbalho, ambos do PMDB.


“O novo está na forma de governar, pois vamos debater as soluções deste Estado com a população. Percorri todas as regiões do Pará e ouvi o que a sociedade quer em termos de educação, saúde e geração de emprego”, limitou-se a afirmar, ao destacar que o Pará tem inúmeros desafios, principalmente na área de educação. Disse que pretende mudar o Estado com o apoio de quem já teve a oportunidade de fazê-lo e que ainda tem poder para isso, referindo-se ao pai, Jader Barbalho.

Na área de saúde, prometeu implantar escolas em tempo integral e criar programas de valorização aos professores. “Quem visita as unidades de saúde se depara com a calamidade, pois nosso povo não é bem assistido”, argumenta. Já no campo da segurança, prometeu criar a ronda de bairros.

Quanto à escolha do ex-deputado Lira Maia (DEM) – que encabeçou o plebiscito pela divisão do Pará e a criação do estado de Carajás – para ser vice em sua chapa, disse: “Queremos ter representantes de todas as regiões, que, ao longo dos últimos anos, foram esquecidos pelo governo estadual”, aponta, sem, mais uma vez, manifestar-se claramente sobre se é a favor ou contra a divisão do Estado.

Sobre as obras inacabadas em Ananindeua, embora R$ 11 milhões tenham sido disponibilizados na gestão do ex-prefeito, de acordo com os relatórios do Ministério Público Federal (MPF), Helder Barbalho afirmou que algumas dessas construções deveriam ser iniciadas pelo atual prefeito, Manoel Pioneiro. E, mais uma vez, para não perder o costume, jogou a culpa pelo atraso no cronograma de obras do governo federal, “que atrasaram as obras nas comunidades de 28 de Agosto e Nova Esperança”.

Entrevista – Na segunda-feira (22) Helder Barbalho participará da séria de entrevistas promovida pelo Portal ORM News e Rádio O Liberal/CBN com os candidatos ao governo do Estado. A transmissão poderá ser acompanhada, com qualidade HD, e rádio, a partir das 9h30. Em pauta temas como Saúde, Educação, Emprego e Renda, Transporte, Meio Ambiente, Esporte e Lazer, Segurança Pública e Economia. A sabatina será comandada pelo radialista Cleiton César com participação da jornalista Karla Soares.

Reportagem: ORM News
Foto: Arquivo

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu