Publicidade

Homicida integrante da quadrilha de Idalécio dá nome falso à polícia

Para tentar fugir dos rigores da lei, um dos criminosos braço direito do perigoso Idalécio Alves da Silva deu o nome falso a polícia após ser baleado de raspão no pescoço durante confronto a tiros ocorrido na noite desta terça-feira (12), por volta das 19 horas, no Bairro Altamira, em Parauapebas.

Na troca de tiros, Idalécio foi morto e Fernando Carvalho dos Santos, vulgo Dibéq, de 26 anos, deu nome falso de Vitor Pietro dos Santos.

Saraiva publicidade

De acordo o major Gledson Melo dos Santos, após liberarem o refém, Idalécio e Dibéq roubaram uma saveiro e fugiram para o Bairro Tropical, onde abandonaram o veículo, receberam apoio de criminosos e fugiram para um esconderijo de apoio no bairro Altamira. “A nossa equipe da 2ª seção obteu mais uma informação onde eles estavam, ontem às 19 horas entramos na residência onde eles estavam, fomos recebidos a tiros e conseguimos abater o Idalécio, depois o Fernando foi acertado. A perseguição ainda está em andamento e estamos fazendo levantamentos para saber a localização de onde os outros estão, já sabemos o bairro. Tanto o Idalécio como Dibéq planejavam fugir na madrugada desta quarta-feira (14) para a zona rural, mas conseguimos chegar antes disso”, ressaltou o comandante do 23º Batalhão de Polícia Militar.

Bandido perigoso sobreviveu a investida policial

 

Dibéq passa bem e está sob cuidados médicos no Hospital Geral de Parauapebas. De acordo informações repassadas a reportagem, ele é condenado por dois homicídios, integrante do Primeiro Comando da Capital (PCC) e foragido do sistema carcerário do Pará desde 2018.

Da quadrilha de cinco perigosos assaltantes de casas lotéricas, supermercados e postos de combustíveis, Marcelo Silva de Souza e Idalécio Alves da Silva foram mortos em confronto com a polícia nesta semana. Dibéq foi ferido e está preso, faltando a captura dos outros dois criminosos.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu