Publicidade

Hospital Regional de Marabá ganha mais 20 máquinas de hemodiálise

Foto: Reprodução | Redes sociais

O Hospital Regional Público do Sudeste do Pará ‘Dr. Geraldo Veloso’ (HRSP) passou por reforma e ampliação para ofertar serviços de hemodiálise e hemodinâmica, aumentar 30 leitos e ainda criar salas do Centro de Ensino e Pesquisa, incluindo residência médica. A obra será inaugurada, neste sábado (8), às 9h, pelo governador Simão Jatene. Agora, a unidade de saúde passa a disponibilizar mais 20 máquinas de hemodiálise, proporcionando atendimento mensal a 120 pacientes portadores de nefropatias.

Atualmente, há 489 máquinas de hemodiálise habilitadas e em uso no Estado, distribuídas em dezenove estabelecimentos, incluindo os setores público, privado e filantrópico em dez municípios. No Pará, existem 3.441 pessoas em tratamento de hemodiálise e cerca de 230 pacientes em espera para fazer as sessões.


Dados da Secretaria de Saúde Pública do Estado do Pará (Sespa) sobre a rede de nefrologia demonstram a ampliação do serviço desde 2011, a partir da implantação do Centro de Hemodiálise Monteiro Leite, em uma ação conjunta da Sespa e da Fundação Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (FHCGV). Em Marabá, a ampliação do serviço de hemodiálise é mais um resultado da priorização feita pelo Governo do Estado tanto no setor público como no privado, onde há parcerias que auxiliam a sua expansão.

Em Capanema, por exemplo, foram implantadas mais 20 máquinas junto a um hospital privado. Em Castanhal, foram inauguradas 67 máquinas concentradas num espaço de grande porte. Também há previsão de abertura de vagas em Tucuruí. No Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém, está programada a ampliação dos serviços de hemodiálise com a implantação de 40 máquinas.

Capital – Já em Belém, na Santa Casa de Misericórdia, o Centro de Terapia Renal Substitutiva Pediátrica tem um atendimento que envolve crianças e adolescentes de até 18 anos e é amplo: nefrologia pediátrica, hemodiálise pediátrica, ambulatórios e enfermarias. O serviço de hemodiálise foi inaugurado em outubro de 2012 e tem capacidade de atendimento de crianças em programa de hemodiálise crônica. Ainda na Santa Casa, além da realização de hemodiálise, há um total de 200 atendimentos ambulatoriais por semana, com médicos especializados e treinados para alertar e evitar que o problema renal se estabeleça.

No Ophir Loyola a clínica nefrológica possui hemodiálise com 22 máquinas reservadas à diálise dos pacientes ambulatoriais e àqueles internados com problemas oncológicos (renal) no hospital. Um braço isolado da nefrologia, o Serviço de Transplante Renal possui 18 leitos reservados aos pacientes que apresentam complicações infecciosas após o enxerto ou ainda serão submetidos ao procedimento. Por mês, o Serviço de Transplante Renal atende cerca de 160 pessoas, entre cirurgias e pacientes em tratamento pré e pós-operatório. Cerca de 90% das cirurgias são realizadas com rins provenientes de doadores falecidos.

Vinculado ao Hospital de Clínicas Gaspar Vianna, o Centro Monteiro Leite funciona há sete anos. Oferece 198 vagas para o tratamento ambulatorial, com 35 máquinas de hemodiálise, que funcionam em três turnos durante seis dias por semana, de segunda-feira a sábado. A unidade faz parte da política de ampliação dos serviços de hemodiálise do Governo do Estado, intensificada a partir de 2011.

Santarém – O Centro de Nefrologia do Hospital Regional do Baixo Amazonas conta hoje com 27 máquinas e atende centenas de pacientes da região. O número de máquinas vai passar para 70 no total, um aumento de 43. E para garantir a oferta do serviço de hemodiálise no Hospital Municipal de Santarém, a Sespa repassa mensalmente ao município, por meio de um cofinanciamento, o valor de R$ 200 mil, conforme Portaria Nº 239 de 18 de março de 2014.

 

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu