Publicidade

ICMBio e Vale protegem mil espécies de animais na Flona de Carajás

A Floresta Nacional de Carajás, que alcança Parauapebas, Canaã dos Carajás e Água Azul do Norte tem uma diversidade única de fauna e flora. A vegetação alterna a savana (vegetação típica de formações ferríferas – onde há presença de minério de ferro) e floresta amazônica. A fauna se multiplica em mil espécies diferentes de aves, mamíferos, répteis, anfíbios e morcegos. Entre esses animais, que se somam aos mais conhecidos como onças, macacos, harpia, há curiosidades em suas características, que também o Portal Pebinha de Açúcar traz nessa matéria.

A Flona integra um conjunto de cinco unidades de conservação ambiental geridas e protegidas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) com o apoio da Vale. Uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União, inclusive, apontou que a Flona está entre os apenas 4% das unidades de conservação do Brasil com alto grau de implementação e gestão de áreas protegidas. O levantamento foi feito em 247 unidades de conservação do bioma Amazônia.


Veja abaixo alguns dos curiosos animais da Flona:

Rã pimenta, mas pode chamar de rã diva (Leptodactylus knudseni)

A rã pimenta que faz uma banheira de espuma para colocar os ovos. Foto: Guia de Sapos

 

A rã pimenta é uma verdadeira diva, ela simplesmente coloca seus ovos numa banheira de espuma. E pense, que quem cava a banheira é o macho. Mas não deixe ela estressada. Quando irritada, ela solta um muco que irrita os olhos, a boca e o nariz. E ainda, olha a moral, o macho vocaliza (chama a fêmea) durante todo período chuvoso.

Cobra de duas cabeças (Amphisbaena amazonica)

A cobra de duas cabeças. Foto: João Marcos Rosa

 

Você já ouviu falar de jararaca, jiboia, caninana, mas aqui na Floresta Nacional de Carajás, também tem a cobra de duas cabeças. É, mas apesar do nome, não precisa ficar com medo. Ela não tem duas bocas e não é peçonhenta. O nome dela é porque a cauda confunde demais com a cabeça. Ela é um animal, que chamam de fossorial, ou seja, que vive embaixo da terra e se alimenta de pequenos insetos como formigas e cupins.

Araponga da Amazônia (Procnias albus)

A Araponga da Amazônia. Foto: Luiz Matos

 

O canto dessa ave é de impressionar, bastante incomum e pode ser ouvido a uma boa distância. O som parece com aquele de conexão de internet discada (Fonte: Wikiaves). E quem disse que ter um narigão é feio? O charme dos machos dessa espécie para as fêmeas está em apêndice carnudo, que fica na base do bico pendurado para baixo.

A Floresta Nacional de Carajás também abriga a maior província mineral do mundo e ainda, nascentes de água e outros recursos naturais de valor econômico, social e ambiental. A Flona tem também atrativos únicos para quem viaja para Parauapebas como a cachoeira de Águas Claras; as cavernas ferríferas; a visita ao mirante da Mina de N4E, onde começou a atividade mineral, as trilhas ecológicas e o Parque Zoobotânico.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu