Publicidade

Implantado há dois meses, SAMU de Parauapebas contabiliza resultados positivos

No último domingo (13), o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) completou dois meses de implantação em Parauapebas, durante esse período, mais de 300 ocorrências foram registradas. A maior parte dos atendimentos é realizado por conta de acidentes automobilístico, o que representa 48% do total.

Os demais atendimentos se dividem em casos clínicos, de quedas, psiquiátricos, agressões, atropelamentos, ferimentos por armas brancas e de fogo, partos, entre outros. De acordo com o enfermeiro Manoel Ilson, coordenador do Samu, infelizmente, 3% das ligações durante o período foi trote.


Os serviços do Samu são acionados pelo número telefônico 192. Todas as demandas são recebidas e encaminhadas pela central reguladora, que conta com médicos de plantão para fazer a triagem e direcionar os atendimentos. “Nosso tempo de chegada é de 6 a 10 minutos em cerca de 50% dos casos”, destaca o coordenador do Samu.

A equipe do Samu em Parauapebas é composta por 13 profissionais de saúde, sendo sete técnicos de enfermagem e seis condutores devidamente treinados. As ocorrências são atendidas com apoio de uma ambulância equipada para realizar atendimento pré-hospitalar.

Diferença entre os serviços do Samu e Corpo de Bombeiros

De acordo com enfermeiro Manoel, por conta de o Samu ser novo na cidade é preciso reforçar a diferença da sua atuação com relação ao serviço prestado pelo Corpo de Bombeiros.

O Samu deve ser acionado na ocorrência dos seguintes problemas: cardiorespiratórios; intoxicação ou envenenamento; queimaduras graves; maus tratos; trabalhos de parto onde haja risco de morte da mãe ou do feto; tentativas de suicídio; crises hipertensivas; acidentes/traumas com vítimas; afogamentos; choque elétrico; acidentes com produtos perigosos; transferência inter-hospitalar de doentes com risco de morte; dor de aparecimento súbito; queda acidental; crises convulsivas; perda da consciência; desmaio.

Já o corpo de bombeiros, acionado pelo número 193, deve ser chamado nas seguintes situações: incêndios e explosões; vazamento de produtos químicos ou perigosos; vazamento de gás; acidentes de trânsito com pessoas presas nas ferragens; pessoas perdidas em mata, mar ou montanhas; desabamento e deslizamento de terra; resgates em altura; salvamento em meio líquido (mar, rio ou piscina).

Reportagem: Karine Gomes
Foto: irisvelton Silva

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu