Publicidade

Insegurança leva servidores do Conselho Tutelar II a realizar atendimento apenas por telefone

Conselheiros tutelares que trabalham no bairro Vila Rica se reuniram na manhã desta quinta-feira, 2, para discutir a questão da insegurança que compromete o desenvolvimento do trabalho dos profissionais. Depois de muita conversa, eles decidiram suspender o atendimento ao público. “Nós solicitamos a presença da Guarda Municipal desde quando ela começou a atuar na cidade. Então, a decisão de paralisar o atendimento ao público é válida até que sejamos atendidos”, informou a coordenadora do Conselho Tutelar II, Gardenha Martins.

Gardenha ressaltou ainda que o trabalho não deixará de ser realizado. “Nós iremos atender a comunidade por telefone, precisando do conselho basta ligar, anexamos o nosso contato no portão do prédio”.


O clima que já era de insegurança ficou ainda mais tenso depois que na tarde de quarta-feira, 01, um homem entrou armado no prédio do conselho, rendendo o vigia. Ele saiu do local levando sete celulares. “Nós estamos trabalhando numa área muito vulnerável, não tem iluminação pública, é rodeada por bares, ocorrem assaltos contínuos por aqui. Em dezembro do ano passado, um homem foi assassinado na porta do conselho e nós não temos segurança para exercer nosso trabalho”, relatou Gardenha.

A coordenadora falou ainda que depois da ação criminosa na quarta-feira, conselheiros foram até a central de videomonitoramento e ficaram surpresos ao serem informados de que as câmeras localizadas nas imediações do Conselho Tutelar II não estão funcionando.

Para os conselheiros o trabalho desenvolvido por eles deveria ser considerado prioritário, já que os casos de violação dos direitos da criança e de adolescentes são constantes no município.

“Há dois anos estamos trabalhando nessas condições. Diante de tudo isso que a gente vem passando o sentimento que fica é o de descaso”, conclui a coordenadora.

Outro lado

A equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Parauapebas, que por sua vez acionou o Comando da Guarda Municipal. Na próxima sexta-feira (3) a reportagem fará uma matéria sobre as soluções a serem apresentadas pelas autoridades de segurança.

Reportagem: Anne Costa

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu