Publicidade

Integrante da Liga de Camponeses Pobres é assassinado em Rio Maria

O homicídio aconteceu por volta das 21hs da última sexta-feira (07) na Avenida Independência com a travessa Castro Alves, no município de Rio Maria.

Segundo relatos da esposa e da enteada da vítima, que testemunharam o crime, dois homens em uma motocicleta se aproximaram e efetuaram quatros disparos de arma de fogo contra Rosenilton Pereira de Almeida, de 44 anos, que morreu na hora.

Saraiva publicidade

Rosenilton é um dos líderes de um grupo de posseiros que integram a Liga de Camponeses Pobres, que recentemente montou acampamento nos arredores da fazenda Santa Lúcia, localizada na zona Rural de Pau D’arco. A área foi ocupada dias antes do início da reprodução simulada que investiga uma operação policial naquela região que resultou na morte de dez pessoas no dia 24 de maio.

 

A polícia ainda não tem pistas dos assassinos. O caso será investigado pelo superintendente da Polícia Civil, Alécio Janunes Neto, de Redenção, que já começou a ouvir as testemunhas.

Em depoimento prestado à polícia, Maria de Sousa Silva, esposa da vítima, disse que os assassinos estavam seguindo Rosenilton, e que o crime tem ligação com a invasão da fazenda Santa Lúcia. Essa hipótese não foi descartada pela Secretaria de Comunicação do Governo do Estado que manifestou através de uma nota oficial enviada à imprensa.

“A morte de Rosenilton Pereira de Almeida foi comunicada por telefone, por volta das 21h30, ao pelotão da Polícia Militar em Rio Maria, vinculado ao Batalhão da PM em Xinguara. Policiais militares foram ao local, isolaram a área, colheram informações preliminares e repassaram à Polícia Civil, que abriu inquérito sobre o crime. A princípio, não se viu nenhuma relação entre este homicídio e os fatos ocorridos em Pau D’Arco, mas essa conexão não está descartada, pois a vítima integra o grupo que invadiu a fazenda Santa Lúcia poucos dias antes da operação de reprodução simulada que está em curso no local.
Quanto à cobrança do Comitê Brasileiro de Direitos Humanos por uma “investigação isenta e rigorosa da chacina que aconteceu em Pau D’Arco, em maio deste ano”, o próprio noticiário demonstra que isso já acontece.

Há 4 inquéritos em andamento: da Polícia Civil, da PM, da Polícia Federal e do Ministério Público. Os policiais envolvidos no episódio foram imediatamente afastados. Cinco dos sete laudos da perícia científica solicitados já foram entregues aos presidentes desses inquéritos e seus resultados apresentados à imprensa em entrevista coletiva. O laudo de balística está em fase final. O laudo da reprodução simulada só ficará pronto após a operação de reconstituição, prevista para se encerrar na próxima segunda-feira.

A Polícia Civil e a Polícia Militar cooperam plenamente com as investigações, garantindo segurança e apoio logístico e de pessoal. A Secretaria de Segurança e a Polícia Federal firmaram acordo de cooperação que vem sendo cumprido à risca, ou não seria possível realizar a gigantesca operação de reprodução simulada, como afirmou o próprio delegado da PF em Redenção. Ao Governo do Estado, como é reiterado desde o episódio ocorrido em 24 de maio, interessa apenas a elucidação mais rápida possível dos fatos, para a tomada das medidas cabíveis no âmbito da Justiça, sejam quais forem os responsáveis pelas lamentáveis mortes ocorridas na fazenda Santa.”

Fonte: Notícias da Hora

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu