Publicidade

Jovem de 17 anos é assassinado brutalmente e tem cabeça decepada em Parauapebas

O jovem teve a cabeça decepada do corpo de forma cruel

O filho que saiu de casa apenas para ir a um comércio nas proximidades da residência para comprar uma bolacha teve o fim trágico de sua vida em Parauapebas, sendo morto, tendo a cabeça decepada com o auxilio de uma faca.

O crime brutal deve ter acontecido ainda na terça-feira (14), tendo como vítima fatal o jovem Joemeson Rodrigues de Sousa, de 17 anos de idade. O corpo dele foi encontrado no Bairro Tropical e a cabeça decepada ao lado. Joemeson era natural de Altamira e filho de Reinaldo Ferreira de Sousa e Luana Rodrigues Alves.


De acordo com informações repassadas à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar por Deuzimar Praiano Alves, o jovem era seu neto, pois, o mesmo criava uma menina adotiva e essa teve a criança que ele sempre teve como neto legítimo.

O jovem teve a cabeça decepada do corpo de forma cruel

 

“O garoto morava com a mãe, em outra cidade, e como se envolveu com ‘coisas erradas’ por lá, foi mandado para a casa do avô em Parauapebas”, relatou o senhor Deuzimar, afirmando que o objetivo da vinda de Joemeson para Parauapebas era para ver se ele “tomava rumo na vida”, porém, pelo notado, continuou na contramão da existência. “Ele não deu uma oportunidade para que Deus o ajudasse”, falou com tranquilidade Deuzimar, contando que na noite de terça-feira, quando Joemeson não retornou, já previa o pior, por isso, na quinta-feira, registrou ocorrência na Polícia Civil; e hoje, sexta-feira (17), saiu à procura do rapaz e viu uma estrada de pouco movimento a presença de urubus e resolveu ali procurar, e ao se aproximar, encontrou o corpo do neto de uma forma que não queria, porém, já previa.

Foto da vítima fatal ainda em vida

 

Ainda segundo informações de Deuzimar, o neto andava em más companhias e já tinha passagens pela polícia na cidade onde vivia com a mãe; quanto a usar entorpecentes, Deuzimar não soube informar, mas, disse não descartar a possibilidade.

A Polícia Civil abriu inquérito para investigar o caso, mas, não deu linha e investigação e nem provável suspeito até o fechamento desta matéria.

Cartaz de desaparecimento da vítima, divulgado pelo Disque Denúncia

 

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu