Publicidade

Judô Paralímpico parauapebense é destaque no Norte do país

Atletas de Belém e Parauapebas competiram, nesta sexta-feira,14, no Instituto Federal do Pará (IFPA), na modalidade Judô, pelos VI Jogos Paralímpicos da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), promovido por meio do Núcleo de Esporte e Lazer (NEL), que aconteceram até o último sábado,15.

As lutas desta sexta reuniram 23 atletas e serviram como seletiva para a escolha dos representantes do Pará na etapa nacional dos Jogos Paralímpicos que acontecem em São Paulo no mês de novembro. Os alunos que devem representar o Pará na etapa nacional são: Daniel Lima, Leonardo Nogueira, Thiego Marques, Larissa Oliveira, Ana Juçara e Fábio Mendes.


O Judô exige dos atletas muita força de vontade e física, dedicação, concentração e muito treino. A modalidade começou a fazer parte dos Jogos Paralímpicos da Seduc em 2009 e no mesmo ano o judoca paraense Rayfran Mesquita, de Parauapebas, foi convocado para a Seleção Brasileira Paralímpica de Judô e agora compete em nível internacional.

Segundo Antônio Sérgio Oliveira, técnico da equipe de Parauapebas e da Seleção Paraense de Judô Paralímpico, o esporte evoluiu muito e os atletas estão cada vez mais empenhados em competir e ter bons resultados. “Evoluímos e temos resultados excelentes, no Norte do país nós somos referência no Judô Paralímpico”, enfatizou ele.

O aluno Thiego Marques da Silva, que é atendido pelo Instituto Jonas Pereira de Melo, destinado a pessoas cegas e com baixa visão, na cidade de Parauapebas, foi convocado para integrar a Seleção Brasileira Juvenil de Judô Paralímpico e competirá nos Estados Unidos da América pelo Campeonato Mundial de Jogo Para Cegos e Pessoas com Baixa Visão.

O atleta ganhou medalha de ouro em São Paulo pelo Gran Prix Infraero de Judô e está muito animado e confiante para a competição nos Estados Unidos. “Fiquei muito feliz e surpreendido pela minha convocação, quero ganhar o ouro e estou muito confiante disso”, afirmou Thiego da Silva.

Para Ivaldo Brandão, vice-presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, a organização dos Jogos Paralímpicos da Seduc está muito boa e isso é muito importante para que o estado possa encontrar novos talentos no esporte. “O Judô Paralímpico está sendo bastante divulgado e isso atrai muito mais participantes. É muito bom ver que aqui em Belém temos grandes representantes no esporte paralímpico nacional e essas referências irão ajudar a desenvolver ainda mais o esporte aqui no estado e trazer novos atletas”, disse Ivaldo Brandão.

A luta que chamou a atenção do público foi das gêmeas Dayane Sousa Silva Pereira e Danyelle Sousa Silva Pereira. As irmãs se enfrentaram no tatame, mas sobrou espaço para a cordialidade e afeto entre as duas. Elas possuem deficiência visual e intelectual e praticam judô há três meses.

A coordenadora do NEL, Ana Glória Guerreiro, disse que o apoio e a credibilidade que o estado está dando ao esporte proporciona bons resultados para a educação do Pará. “Estamos fazendo um trabalho de integração, buscamos trabalhar junto com as famílias também pelo melhor desempenho dos nossos alunos e isso é a meta do Pacto Pela Educação do Pará, contribuir e melhorar o desempenho dos nossos estudantes”, realçou Glória Guerreiro.

Reportagem: Eliane Cardoso

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu