Publicidade

Laudo aponta causas da mortandade de peixes no Rio Parauapebas

Quase um mês após a morte de centenas de peixes do Rio Parauapebas, sai o resultado do laudo feito pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA) e pelo Sistema Autônomo de Água e Esgoto de Parauapebas (SAAEP), que colheu amostras da água e dos peixes mortos em quatro pontos alternados do afluente.

O laudo com os resultados das análises foi concluído e a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar fez uma entrevista exclusiva com o analista ambiental da SEMMA, Isley Ferreira sobre o caso que chamou atenção de moradores e autoridades ambientais do município.

Saraiva publicidade

De acordo com o analista, houveram vários fatores que contribuíram para a mortandade. “Foi um evento pontual, fomos ao local e não encontramos nenhum peixe moribundo, isso foi algo que aconteceu de forma abrupta. Véspera do incidente tivemos uma chuva intensa, como vínhamos de um período de baixa pluviosidade, contribuiu para uma mudança das condições ambientais do Rio”, declara o analista, colocando fim ao mistério.

Ainda de acordo com Isley, os peixes tem baixa capacidade de adaptação às mudanças climáticas. “Uma das diretrizes que adotamos é monitorar a qualidade da água ao longo do ano. Na captação não houve qualquer alteração”, garante.

O analista ambiental destaca que as possíveis causas para a alteração da água do rio não podem ser atribuídas apenas a um fator. “O esgoto urbano lançado diretamente no rio sem nenhum tratamento pode reduzir o oxigênio dissolvido da água e, consequentemente, causar morte de peixes”, ressalta ele, acrescentado que os estudos feitos são apenas o início de uma investigação e até mesmo um alerta sobre o comportamento das pessoas e a importância de preservar.

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) também esteve no afluente e colheu amostras para estudar a mortandade, mas ainda não divulgou o resultado do laudo.

ATUALIZAÇÃO: 16H25

O Assessor de Comunicação da Prefeitura Municipal de Parauapebas, Sérgio Ramos, entrou em contato com a equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar e afirmou que o SAAEP e a própria UFRA ainda aguardam resultados de coletas importantes como químico e biológico, e apenas com o resultado desses exames que a Prefeitura ira se posicionar oficialmente.

Reportagem: Stéfani Ribeiro – Da Redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu