Publicidade

Linhas de pipa com cerol continuam fazendo vítimas em Parauapebas

Basta andar por qualquer bairro de Parauapebas que, com muita facilidade se encontram várias crianças, adolescentes e até mesmo adultos ‘brincando’ de soltar pipas, porém, infelizmente, a brincadeira está se tornando bastante perigosa, tendo em vista que o índice de acidentes com as linhas de pipa com o uso do cerol vem aumentando, inclusive muitos casos sérios vão parar nos hospitais.

No começo da tarde desta segunda-feira (10), uma mulher identificada como Claudete Sousa Ferreira presenciou cenas fortes que segundo ela, foram momentos difíceis. “Foi tudo muito rápido, eu estava passando pelo local e presenciei um motoqueiro tendo seu pescoço praticamente decepado por uma linha de pipa nas proximidades da Seccional de Polícia Civil de Parauapebas. As suas últimas palavras antes de desmaiar foram: Me ajude. Eu só não sei informar se ele chegou a desmaiar por causa do grande volume de sangue que perdeu, ou se chegou a morrer”, relatou Claudete à equipe de reportagens do Portal Pebinha de Açúcar. Ela disse ainda que ficou chocada com a cena que viu e informou que a vítima foi encaminhada ao Hospital Geral de Parauapebas (HGP).


 

Confira a baixo o que diz o Técnico em Segurança do Trabalho Valdeci Teófilo Ribeiro sobre os perigos do cerol:

“O Cerol é uma mistura de cola com caco de vidro moído que posteriormente são aplicadas às linhas de pipas com a finalidade de cortar a linha de outras pipas adversárias em uma batalha para ver quem pode mais. O saldo dessa irresponsabilidade é que ao final dessas brincadeiras ficam pelas ruas pedaços de linhas que são praticamente invisíveis aos olhos de quem trafega conduzindo veículos ciclomotores. E quando esses condutores inadvertidamente se chocam com a linha de pipa contendo cerol, acabam atingidos principalmente nas mãos, braços, tronco, pescoço e rosto.

As linhas com cerol possuem uma enorme capacidade de corte e provocam ferimentos profundos que são potencialmente mortais quando atingem a região do pescoço, e quando não mata, deixam sequelas terríveis em suas vítimas.

O cerol em linhas de pipas é utilizado praticamente no ano todo, mas é na época das férias escolares que as ocorrências dos acidentes são mais comuns. A linha de pipa com cerol é só mais um dos problemas enfrentados por pessoas que usam motocicletas para o trabalho ou lazer. Essa atividade criminosa considerada brincadeira de criança, também é a diversão de muitos adultos irresponsáveis.

Como se proteger?

Alguns aparatos foram desenvolvidos para evitar acidentes envolvendo linhas com cerol como por exemplo, as antenas aparadoras de linhas de pipas e protetor de pescoço.

Apesar das várias campanhas alertando para o perigo dessa “brincadeira”, pouco tem surtido efeito, pois o cerol ainda continua sendo utilizado indiscriminadamente e fazendo suas vítimas por todo o país. É necessário que os pais tomem as rédeas dessa situação e promovam uma conscientização sobre essa prática, educando seus filhos sobre as consequências do uso do cerol.

Se ocorrer um acidente causando a morte da vítima, a pessoa que contribuiu para o acidente poderá ir para a cadeia se for identificada. Outras penalidades são previstas para quem coloca a vida de terceiros em risco, portanto, mesmo que não ocorra alguma morte, há mecanismos de punição para os pais e os adolescentes envolvidos nos acidentes.

Empinar pipa é uma diversão saudável que remete a nossa infância trazendo grandes recordações, só não podemos transformar essa brincadeira inocente em uma arma perigosa que pode mudar a vida de outras pessoas para sempre”.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu