Publicidade

Mais de quatro mil toneladas de lixo doméstico são recolhidos por mês em Parauapebas

Contando hoje com uma população aproximada de mais de 200 mil habitantes, a cidade de Parauapebas produz atualmente mais de 4 mil toneladas de lixo doméstico por mês. A revelação é do secretário municipal de Serviços Urbanos (Semurb), Raimundo Augusto dos Santos Neto.

egundo o secretário, toda essa quantidade de lixo doméstico e outros tipos de entulhos são recolhidos diariamente dos bairros da cidade por uma empresa contratada pela prefeitura, a Clean Gestão Ambiental, sob a supervisão da Semurb.


Raimundo Augusto Neto acrescenta que, visando aprimorar ainda mais o serviço de limpeza da cidade, a Semurb criou setores e subsetores em vários bairros, dividindo Parauapebas em seis distritos. Com a dinâmica dos serviços, o número de distritos será dobrado para doze.

O secretário informa também que a coleta de lixo é feita diariamente por caminhões e basculantes em toda a cidade, em horários e dias diferentes.

Dentro desta nova estrutura de limpeza urbana, Augusto Neto explica que os serviços são coordenados por servidores responsáveis pelo controle de produção dos caminhões que coletam lixo urbano, entulho, resto de material de construção e outros tipos de resíduos jogados na via pública.

Os serviços de coleta de entulho, de acordo com o secretário, são executados por 24 caminhões basculantes, cada um com capacidade para 12 metros cúbicos, que diariamente recolhem resto de obras, pedaços de madeira, garrafa pet, galhos de árvores, ou seja, todo tipo de material não considerado como lixo doméstico.

Campanha educativa
Segundo ainda o titular da Semurb, dentro de poucos dias a secretaria estará deslanchando uma campanha educativa na cidade, orientando a população quanto aos dias e horários em que o carro passa para coletar o lixo, que deve ser acondicionado em sacos e protegido de animais como cachorros, cavalos e roedores.

Verticalização de lixo
Até o próximo ano, a prefeitura tem que se adequar aos serviços de destinação do lixo doméstico. Neste sentido, o governo municipal adquiriu uma área localizada na margem da VS 10, para onde o lixo vai ser depositado, tratado e verticalizado por entidades ou empresas parceiras interessadas em industrializar o lixo aproveitável, com moderna tecnologia.

“A prefeitura está dependendo ainda do licenciamento ambiental da área, para que os resíduos produzidos na cidade sejam transportados para lá, e o atual aterro sanitário seja desativado”, explica Augusto Neto, adiantando que o material orgânico deve ser aproveitado na geração de energia elétrica.

Reportagem: Waldyr Silva / Foto: Anderson Souza

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu