Publicidade

Marcelo Catalão agradece ao povo da região pelo apoio e diz que seu nome está à disposição da sociedade

O pecuarista, ex-secretário de Finanças no governo de Darci Lermen (PT) e presidente licenciado do Sindicato dos Produtores Rurais de Parauapebas (Siproduz), Marcelo Catalão estreou no mundo da política nas últimas eleições como candidato a Deputado Federal pelo Partido Democratas (DEM).

Apesar de receber 40. 869 votos no Estado do Pará, sendo que deste total 22. 236 foi apenas em Parauapebas, o candidato não foi eleito.


Na última sexta-feira (10) Catalão reuniu profissionais da imprensa local no diretório do seu partido para comentar sobre sua disputa por uma vaga na Câmara dos Deputados, sobre seu futuro da política de Parauapebas, sobre o momento que o município está vivendo ao presenciar duas Comissões Parlamentares de Inquéritos (CPI’s) instauradas e agradecer pelo resultado positivo das eleições.

De acordo com Marcelo, mesmo sem mandato representa os habitantes da região sul e sudeste do Pará que anseia por mudanças e que vai cobrar resultados de quem assumir o governo do estado. “De maneira geral foi um ótimo resultado, eu vejo isso quando saio nas ruas e as pessoas me cumprimentam parabenizando pelo resultado porque acreditam que as coisas podem melhorar”, destaca acrescentando que seu mandato seria voltado para a representação popular sem interesses pessoais. “Me sinto muito vitorioso por ter feito uma campanha limpa, sem compra de votos e nenhuma outra prática ilegal. Não estaria na política se fosse de outro jeito”, conta Catalão.
Ao ser questionado sobre seu futuro na política de Parauapebas, Marcelo foi enfático ao dizer que sua intensão é permanecer no Democratas e fortalecer o grupo político na região classificando o DEM como “uma corrente na qual faz parte”.

O jornalista Bariloche Silva (diretor do Portal Pebinha de Açúcar) foi categórico ao perguntar para Marcelo Catalão qual é sua visão em relação as duas CPI’s instauradas para investigar secretarias municipais e alguns escândalos enfrentados pela atuação gestão. Em resposta Marcelo destacou que acha negativo que a cidade passe por este tipo de constrangimento. “Isso é péssimo, seria muito melhor nós sairmos nos jornais como uma cidade mineradora que precisa de mão-de-obra em vez de matérias pejorativas. Isso enfraquece o mercado. Eu preferia que o prefeito cumprisse o mandato, no qual foi eleito pelo povo, sem esse tipo de acontecimento. Mas de qualquer forma já está nas mãos da justiça”, declarou.

Ao ser abordado sobre as eleições de 2016, Marcelo Catalão revela que seu nome estará à disposição para avaliação, mas ressalta que ainda é cedo para afirmar que é pré-candidato. “Quando eu viabilizei minha candidatura de deputado federal eu analisei bastante, não entrarei num embate sem propósito simplesmente por ser político, ainda é cedo para garantir qualquer coisa sobre as eleições de 2016”, comenta.
Um novo momento para Marcelo será o retorno à presidência do Siproduz que acontecerá ainda este ano, logo após o segundo turno das eleições.

Reportagem: Natália Rosa
Fotos: Bariloche Silva

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu