Publicidade

Moradores do Bairro Nova Carajás protestam contra loteadora e Vale

O grupo de manifestantes foi liderado por Fábio Lopes, presidente da Associação dos Moradores do Bairro Nova Carajás, e reivindicava providências para resolver diversos problemas existentes naquele bairro.

Um dos problemas mais eminentes, segundo informou Fábio em entrevista ao Portal Pebinha de Açúcar, é o barulho produzido pelo trem que passa por ali diversas vezes do dia e da noite, tirando o sono e a paz da população. “Fica difícil dormir, pois no momento sagrado de nosso repouso o barulho é grande”, reclama Fábio, listando não ser este o único problema.

Saraiva publicidade

Outra situação que vem trazendo grandes perdas para quem construiu casas naquelas proximidades é a vibração que provoca rachaduras nas paredes, o que, segundo Fábio, além de trazer insegurança, já que a edificação pode ruir, desvaloriza o imóvel. Outro problema que puxa os preços dos imóveis para baixo é também a proximidade dos trilhos, pois ninguém, em sã consciência, pagará caro por uma moradia em local tão insalubre.

De acordo com os reclamantes, vários processos estão na justiça, além de diversas tentativas de negociação com a loteadora, que tem sido irredutível na alteração do valor nos contratos que são sempre reajustáveis, com juros altos.

O ato de protesto se deu na Câmara Municipal de Parauapebas, durante sessão ordinária ocorrida na terça-feira (30). De forma silenciosa, e sem comprometer o andamento da sessão, os manifestantes exibiram cartazes com dizeres que traduziam suas insatisfações e externavam suas reivindicações.

“Nosso objetivo é apenas tornar público para os vereadores e à população, através dos veículos de comunicação, o que e o quanto estamos sofrendo. Acreditamos ser possível encontrar uma solução que seja favorável a nós”, frisou Fábio Lopes, com ar esperançoso.

 

Nota da Vale – O Portal Pebinha de Açúcar acionou a mineradora Vale S.A., através de sua assessoria de imprensa, para se pronunciar a respeito do caso. Em nota, a mineradora afirma que a existência do ramal ferroviário é antiga. Confira a nota na íntegra:

“A Vale esclarece que mantém permanente diálogo com a comunidade de Nova Carajás, inclusive constituiu um comitê, onde se reúne periodicamente com suas lideranças e moradores. Nesse fórum, são tratadas justamente as demandas da comunidade e ações voltadas para o seu fortalecimento social e geração de trabalho e renda.

Sobre o loteamento, conforme anteriormente esclarecido, a existência do ramal ferroviário é antiga. O projeto foi amplamente divulgado e debatido durante as audiências públicas ocorridas em 2011 e a servidão minerária para implantação do ramal foi concedida em 2010 pelo Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM).

No caso do loteamento Nova Carajás, foi feito ainda o devido pagamento da indenização ao proprietário do loteamento pela área necessária ao empreendimento, conforme, inclusive, perícia e decisão judicial e de acordo com o que estabelece a legislação vigente”.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu