Publicidade
Artigos

Nem os cães ousaram latir! Quando a violência é necessária?

Por: Alípio Ribeiro

“Eu olhava desesperada para meu pai, amarrado, indefeso, sendo esfaqueado! Um animal tentava me estuprar! Eu me perguntava: por quê? Por quê? Meu pensamento estava com Deus! Então ouvi os tiros. Quatro tiros no meu pai… Meu Deus?! Meu Pai??!! E quase desmaiei…”

Se uma cena desta acontecesse com você, qual seria sua reação, depois de tudo, se você sobrevivesse? Só dá pra saber se acontecesse, não é mesmo?
Após o violento assassinato de um policial militar aqui em Parauapebas, uma onda de execuções tomou conta da cidade. Sete, até este momento (01h30min, 13/09/2017). Interessante notar que a maioria dos comentários nas redes sociais e das conversas nas calçadas não era de recriminação às mortes destes 07 elementos! Ao contrário, a população estava apoiando o uso da violência para combater a violência! Eu disse: A MAIORIA! Mas muitos criticaram tais execuções! Alguém publicou um áudio, que rapidamente se propagou, dizendo que a população deveria respeitar um “toque de recolher”. E mais jovens, adultos (todos do sexo masculino) iam sendo executados! Era o assunto bombástico do momento! Vários internautas comemoravam as mortes como se tivessem ganhado um prêmio na loteria! Pouco se davam para o fato de que poderiam ser inocentes sendo assassinados, de que outros bandidos estivessem se aproveitando do fato e matando pessoas por aí para incriminar a polícia. Queriam sangue!

As pessoas se cansaram de ter seus celulares roubados, suas casas invadidas, suas vidas ameaçadas pela bandidagem que tomou conta da cidade. Linchamentos começaram a ganhar as ruas num claro recado para os bandidos: BASTA! Será que estas pessoas perderam a confiança na justiça? Vários depoimentos e vídeos de policiais criticando as audiências de custódia (feitas para saber se o indiciado teve seus direitos violados, dentre outras coisas) circulam pela internet. Dizem que prendem e a justiça solta. Um paradoxo jurídico/social começou a existir. O bandido rouba com violência, mata e apanha do policial. Aí o bandido é solto e o policial vai para a prisão. Incrível, né? Mas acontece! Eu sou advogado! Tenho que acreditar no que faço! Tenho que defender meu cliente dentro da Lei. E sou contra a violência! Quer dizer: depende…

Como não reagir com violência se usam de violência contra nós? Ora! Então vamos tomar as armas dos policiais e vamos por rosas nos coldres deles? O bandido vem com facadas e tiros e os homens da lei reagem com flores? Já vi casos, raros, de pessoas que foram duramente torturadas por bandidos e os perdoaram. Uma delas foi Jesus Cristo, que perdoou seus algozes!

Há casos e casos… Uma vez, um capeta disfarçado de criança estava na agência do banco do Brasil do Peba incomodando todo mundo. A mãe, uma banana, nada fazia. Aliás, fazia era virar as costas para a chifrudinha! Tenho certeza, por mais que odiemos o Banco do Brasil, que todos queriam dar unstapas naquela terroristazinha! Seria um ato de violência que resolveria o caos! Meus pais eram violentos comigo na minha infância. Se não fossem, nem sei se estaria vivo hoje. De vez em quando, dou uns cascudos no meu filho! Ele nunca reage com violência à minha violência.

Pode ser que nunca esqueça, mas é para não esquecer mesmo! Tem pais que nunca usaram de violência contra os filhos. Mas são raros!

O uso da violência é bíblico. O afogamento dos exércitos do Faraó, o dilúvio, a destruição de Sodoma e Gomorra, a própria violência contra Jesus! “E, voltando as águas, cobriram os carros e os cavalarianos de todo o exército de Faraó, que os haviam seguido no mar; nem ainda um deles ficou” (Êxodo 14:28).

Gen 19: 24 “Então o Senhor fez chover enxofre e fogo, do Senhor desde os céus, sobre Sodoma e Gomorra; Gen 7:22 Tudo o que tinha fôlego de espírito de vida em suas narinas, tudo o que havia em terra seca, morreu”.

E o Bolsonaro? “VIOLÊNCIA SE COMBATE COM VIOLÊNCIA!” Melhor mesmo é Bertolt Brecht: “Do rio que tudo arrasta se diz que é violento. Mas ninguém diz violentas as margens que o comprimem”.

Mas o uso da violência não deve ser a regra. Deve ser a exceção! Nada melhor que um povo civilizado. Já pesquisaram sobre as prisões na Holanda? Prefiro o “Amai-vos uns aos outros como eu vos amei. Jo 15, 12-17”.

Hoje a cidade anoiteceu em “PAZ”! A minha rua estava silenciosa como nunca na história deste bairro. A praga da cachorrada aqui da quadra nunca me deixa dormir com os estridentes e infindáveis latidos. A gataiada no cio parece uma mistura de ANABELLE COM A COISA num namoro sem fim com o JASON numa sexta-feira 13! O barulho de carros, motos, pancadão do funk é assustador! Mas hoje não! Tudo em silêncio!

Após as 22h, dava para se ouvir o cricrilar dos grilos. Não havia pessoas nas ruas, nem cidadãos de bem, nem do mal. Sequer os cães ousavam latir!

Nesta noite, a violência me deixou em paz…

Publicidade

Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing LTDA-ME
CNPJ: 05.200.883.0001-05 Parauapebas-Pará-Brasil
(94) 99121-9293 | (94) 981342558

Todos os direitos reservados © 2017 Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing Ltda-ME
Desenvolvimento Web: Agência Maktub

To Top
error: Reprodução proibida!