Publicidade

Palestra sobre Fake News abre o Publicom Belém

A Secretaria de Comunicação do Estado ( Secom) deu início na tarde desta segunda-feira (11), no Ginásio do Sesi, ao Publicom Belém. Criado em 2013 , o Publicom é um Encontro de Comunicação voltado para profissionais e estudantes do Pará, um compromisso assumido pela secretaria de discutir a Comunicação em todos os cantos do Estado.

Ao longo de cinco anos, o evento já passou por Belém, Altamira, Bragança, Breves, Marabá, Paragominas, Parauapebas, Redenção, Santarém e Xinguara. Este ano, o Publicom já esteve em Breves, Altamira e Marabá.


“Colocamos como desafio realizar 4 edições do Publicom em apenas 6 meses, e estamos concluindo isso. Contemplamos todas as macro-regiões do Estado, levando qualificação, reflexão e um debate sobre como é feita a comunicação, hoje, no Brasil e no Pará, e como os profissionais de comunicação podem fazer para melhorar cada vez mais. A Secretaria de Comunicação é uma secretaria que valoriza as políticas públicas e o Publicom veio para reforçar isso”, destacou o secretário de Estado de Comunicação, Daniel Nardin.

Cobertura de eleições, fake news, publicidade em multiplataformas e estereótipos de raça na comunicação são apenas alguns dos temas que serão debatidos no Publicom Belém 2018, que começou nesta segunda, 11, e segue na terça, 12, com seis horas diárias de programações.

Fake News- A programação neste primeiro dia começou com o debate  “Jornalismo político em tempos de fake news e redes sociais: o desafio da credibilidade”, que teve a participação de três jornalistas que moram em Brasília e de onde acompanham a rotina política brasileira.

Adriana Vasconcelos, que foi correspondente do jornal O Globo por 15 anos, e trabalhou na cobertura de seis eleições presidenciais e Luiz Fara Monteiro, repórter do Jornal da Record, em Brasília, setorizado em política e economia, debaterem as melhores formas de identificar e conter as fake news. O debate teve a mediação da jornalista paraense  Francy Rodrigues, assessora do senador Randolfe Rodrigues (Rede).

“Não é uma tarefa fácil você driblar as fake news. Até porque os grandes mentores dessas falsas notícias se valem da credibilidade da mídia tradicional para tentar disseminar essas falsas notícias. Para você combater isso, é preciso o jornalista ter em mente que ele precisa checar o máximo possível de qualquer notícia que chegue a ele, e desconfiar quando uma notícia é muito extraordinária”, pontuou Adriana.

“É a primeira vez que venho a Belém, essa cidade linda, e o mais importante ainda é saber que o Governo do Estado está preocupado com a questão das fake news em um ano eleitoral, no qual a sociedade precisa se informar e escolher bem os seus representantes”, destacou o jornalista Luiz Fara Monteiro.

Cases- Entre as novidades deste ano está o espaço destinado a cases de Comunicação, onde agências e pessoas vão compartilhar experiências que deram certo.  O primeiro case foi apresentado pela contadora Paula Martins, que é uma das digital influencers mais populares de Belém onde é conhecida por “tia Paula”. Depois de divertir o público com muita irreverência e criatividade, a influencer comemorou a chance de estar no maior encontro de comunicação do Estado.

“É uma experiência inédita pra mim. Já estive em faculdades e eventos, mas participar com um case em um evento de comunicação grandioso como esse foi maravilhoso”, disse “tia Paula”

Sucesso de público – Com inscrições iniciadas no dia 29 de maio, as vagas para todas as atividades do evento, que vai durar dois dias, foram esgotadas em pouco mais de 48 horas. Neste primeiro dia, os estudantes de comunicação que participavam do Publicom pela primeira vez, não escondiam a ansiedade.

“Uma amiga que veio no ano passado falou muito bem do evento, e fiquei curioso para conhecer”, disse o estudante de Multimídia, Rosinaldo Junior.

Monique Franco, 21 anos, estudante de publicidade, não mediu esforços para participar do encontro de comunicação. Amamentando a pequena Noah, de 9 meses, ela contou com a ajuda do namorado, Alan Bastos. “Quando a bebê se agita na plateia, ele vem aqui pra fora com ele, ou eu a amamento um pouquinho para acalmá-la. Mas vale a pena para acompanhar o Publicom. Amanhã, vamos continuar nessa operação para eu participar novamente”, disse a estudante.

Reportagem: Syanne Neno | Agência Pará de Notícias

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu