Publicidade

Pará já tem mais de cinco milhões de eleitores, diz TSE

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou hoje estatísticas relacionadas ao eleitor que comparecerá às urnas em outubro. De acordo com o divulgado pelo presidente do Tribunal, o ministro Dias Tóffoli, o número de cidadãos paraenses que votarão esse ano subiu de 4.515.590 para 5.188.450, entre 2008 e 2014. O Pará tem 3,6% dos eleitores do País, em 2014. Há seis anos, essa representação era de 3,4%.

Segundo as estatísticas apresentadas, a quantidade menores de idade (16 e 17 anos) com título de eleitor, no Estado, caiu de 143.889 para 92.005 no período de seis anos (2008 a 2014). No Brasil, também houve uma queda no número de eleitores jovens com voto facultativo. Em 2010, eram 2.391.352 e, em 2014, são 1.638.751 aptos a votar nessa faixa etária. De acordo com o presidente do TSE, essa alteração se deve ao fato de o fechamento total do cadastro deste ano considerar a data da eleição. Ou seja, em anos anteriores, o cadastro era fechado no dia 30 de junho e não considerava aqueles eleitores que completariam 18 anos até a data da eleição. Neste ano, um novo software permitiu a contagem incluindo o dia da eleição. Portanto, aquele eleitor que vai fazer 18 anos nesse meio tempo até o dia da eleição já não está contabilizado nesse dado estatístico de 16 e 17 anos.


Por outro lado, o número eleitores com mais de 79 anos avançou, consideravelmente, de 2008 (78.678) para 2014 (128.828). Nas últimas eleições para presidente da República, 115,5 mil eleitores paraenses estavam nessa faixa etária. A maior parte dos eleitores paraenses têm entre 25 e 34 anos (1.351.313). Em 2010, esses eleitores eram 1.289.785.

O total de pessoas com ensino superior completo e que irão votar também aumentou, desde a última vez em que os paraenses tiveram que escolher um governador. Hoje, 145.310 eleitores concluíram o ensino superior. Em 2010, 81.571 pessoas com título possuíam diploma de 3º grau. O número de analfabetos, no entanto, permaneceu mais ou menos o mesmo em seis anos, variando muito pouco entre uma eleição e outra. Em 2014, 383.065 analfabetos irão às urnas. O número de eleitores que apenas lêem e escrevem, no Estado, caiu de 956.255, em 2008, para 872.592, em 2010.

Em relação ao sexo dos eleitores, os números também apresentam equilíbrio. Esse ano, o Pará terá 2.605.283 homens e 2.580.922 mulheres votando. Conforme os dados divulgados pelo TSE, 2.245 pessoas não informaram o sexo.

O Estado tem 637.091 pessoas cadastradas para votar pelo sistema biométrico. Nos municípios onde as eleições ocorrerão sem a biometria, 6.281 pessoas estão registradas para utilizar a tecnologia. Em cidades que utilizarão a ferramenta, 630.810 paraenses já estão devidamente cadastrados. Ao todo, 21.677.955 eleitores brasileiros serão identificados pela impressão digital na hora de votar. O número representa 15,18% do eleitorado geral. Em três estados brasileiros (Alagoas, Amapá e Sergipe) e no Distrito Federal, 100% dos eleitores já estão aptos a votar em urnas com identificação biométrica.

Em todo o Brasil, 142.822.046 eleitores poderão escolher seus representantes, em outubro. O número representa um aumento de 5,17% em relação às eleições de 2010, quando havia 135.804.433 eleitores registrados na Justiça Eleitoral. A maior parte dos eleitores está localizada na região Sudeste, que concentra 43,44%, somando 62.041.794 pessoas. O maior colégio eleitoral é o Estado de São Paulo, com 31.998.432 eleitores. Na sequência aparecem Minas Gerais (15.248.681), Rio de Janeiro (12.141.145), Bahia (10.185.417) e Rio Grande do Sul (8.392.033). O menor colégio eleitoral é Roraima, com 299.558 eleitores. Já o município com o menor número de eleitores é Araguainha, em Mato Grosso, com 898 cidadãos aptos a votar. Os dados estatísticos também mostram que a maior parte do eleitorado brasileiro é formada por mulheres. São 74.459.424 eleitoras representando 52,13% do total. Os homens representam 47,79%, sendo 68.247.598 eleitores.

Em comparação com eleições anteriores, houve uma queda no número de eleitores jovens com voto facultativo, ou seja, aqueles que têm 16 e 17 anos. Em 2010, eram 2.391.352 e, em 2014, são 1.638.751 aptos a votar nessa faixa etária.

O ministro Dias Toffoli também destacou que o próprio Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) analisa essa diminuição no eleitorado jovem com a tendência do envelhecimento da população brasileira. Os próprios dados do TSE mostram que a população de eleitores idosos (com mais de 60 anos) aumentou de 20.769.458, em 2010, para 24.297.096 nestas eleições. A faixa etária predominante nas eleições deste ano está entre 45 e 59 anos. Em 2010, os eleitores entre 25 e 34 anos formavam a maioria.

Voto em trânsito e eleitores no exterior
O eleitor que estiver fora de seu domicílio eleitoral terá mais opções de cidades para votar em trânsito nestas eleições. São 92 cidades distribuídas nas 27 Unidades da Federação. Em 2010, essa possibilidade ficou restrita às capitais.Para votar em trânsito, o eleitor deve comparecer a qualquer cartório eleitoral munido de seus documentos pessoais e informar a cidade em que estará no dia da eleição. O prazo para fazer esse comunicado vai até o dia 21 de agosto.

Ainda de acordo com as estatísticas do eleitorado, houve um crescimento de 76,75% dos eleitores que residem no exterior. Eles estão distribuídos 118 países. Em 2010 eram 200.392 eleitores registrados no exterior e, em 2014, esse número subiu para 354.184. Segundo o ministro Dias Toffoli, esse aumento ocorreu em razão de uma aproximação maior da Justiça Eleitoral com o Itamaraty para ampliar a possibilidade de voto no exterior. Além disso, o TSE promoveu campanha de incentivo ao voto nos canais de televisão brasileiros presentes em outros países.

Reportagem: Rafael Querrer – ORM News
Foto: Arquivo

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu