Publicidade

Parauapebas é campeão de casos de Dengue no Pará

A Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa) divulgou nesta sexta-feira (14) o 2º informe epidemiológico sobre a situação da dengue no Pará. De acordo com os dados, até o momento foram notificados 868 casos suspeitos de dengue, dos quais 124 foram confirmados, sendo 120 de dengue clássica, três de dengue com complicação e um de febre hemorrágica da dengue. Neste ano, ainda não consta nenhuma confirmação de óbito por dengue no Estado.

Os municípios com maior número de casos notificados são Parauapebas (295), Belém (129), Marabá (119), Marituba (49), Ananindeua (32) e Tucuruí (28). A maioria dos casos confirmados está em Parauapebas (51), Belém (22), Marabá (7) e São Félix do Xingu (13).


Segundo a coordenação do Programa Estadual de Controle de Dengue, o informe epidemiológico está sendo divulgado ainda com a classificação antiga. O prazo para a atualização do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan Online), previsto para o dia 28 de fevereiro, será prorrogado devido a problemas diagnosticados pelos perfis de acesso dos níveis municipais, em que muitos registros se encontram desabilitados para a edição.

Atualização
“A Sespa está aguardando a liberação da versão 2.7 do Sinan Online, para que possamos definir um novo cronograma de atualização do sistema, de acordo com a nova classificação do caso de dengue e informá-los”, ressaltou a coordenação.

Com o novo sistema, será possível visualizar apenas as opções da classificação: dengue, dengue com sinais de alarme e dengue grave. A nova classificação, preconizada neste ano pelo Ministério da Saúde, já está sendo adotada pela Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) em outros países.

Devido ao período de chuvas, o risco de contrair dengue aumenta. Por isso, a Sespa alerta a população sobre os cuidados necessários para prevenir a doença, como a retirada de objetos que possam acumular água nos quintais, de folhas e outros materiais, além da limpeza de calhas, para evitar água parada e impedir a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Quando há necessidade, equipes da Sespa orientam os municípios para manter a doença sob controle, uma vez que não é função da Secretaria Estadual ir às ruas chamar a atenção da população. Essa missão é delegada às secretarias municipais, que devem executar o bloqueio imediato da transmissão, nas localidades ou bairros que notificam casos; elaborar e colocar em prática atividades de educação e comunicação, visando a sensibilização da população para o problema; articular com órgãos municipais de saneamento e limpeza urbana, para melhorar a coleta e destinação adequada do lixo, e manutenção das atividades de rotina no combate ao mosquito transmissor.

Mais informações sobre dengue são fornecidas pelas secretarias municipais de Saúde de Ananindeua – (91) 3073-2220; Marabá (94) 3324-4904; Marituba (91) 3256-8395; Santarém (94) 3524-3555, e Tucuruí (94) 3778-8378. Em Belém, além do telefone (91) 3277-2485, estão disponíveis os telefones dos distritos administrativos da Prefeitura: Daben (3297-3275), Daent (3276-6371), Dagua (3274-1691), Daico (3297-7059), Damos (3771-3344), Daout (3267-2859), Dasac (3244-0271) e Dabel (3277-2485).

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu