Publicidade

Parauapebas terá projeto piloto para produção de biocombustível

Na busca por alternativas econômicas para o município de Parauapebas, o governo municipal atua no desenvolvimento de novas matrizes econômicas para região. Prova disso é a implantação do projeto piloto que produzirá biocombustível com previsão de iniciar em julho deste ano.

A partir de uma parceria com a empresa Aenbio, Refinaria e Derivados de Vegetais, detentora da tecnologia de usina compacta de produção de biodiesel, será implantado um projeto piloto com capacidade produtiva de 50 litros de etanol por dia, além de álcool de segunda geração e substrato para ração animal, produzidos a partir da batata-doce e de outras fontes de biomassa.


De acordo com o titular da Secretaria Municipal de Planejamento e Gestão (Seplan), Wander Nepomuceno, o projeto será implantado ao mesmo tempo em que ocorrerá a implementação do Distrito Industrial de Parauapebas, outro foco de atuação do governo municipal no que diz respeito aos investimentos para diversificação econômica do município.

“Temos que aproveitar o ciclo econômico e a riqueza gerada pela indústria extrativa mineral para dar alternativas econômicas sustentáveis para o município”, destaca Wander, adiantando que já foi assinado um termo de intenção junto à Aenbio, juntamente com a empresa Natura, para realização de pesquisa e produção de álcool de segunda geração, que será utilizada na indústria de essências naturais a partir de plantas encontradas na região de Carajás.

Em relação à produção de biodiesel, o titular da Seden destaca que o projeto vai gerar emprego e renda tanto na zona urbana como na rural, pois a produção da matéria-prima que será utilizada vai ser adquirida de pequenos produtores da região. Para isso, a Secretaria Municipal de Produção Rural (Sempror) irá desenvolver um programa específico para o estímulo da produção de biomassa, incentivando a agricultura familiar e a geração de emprego e renda no campo.

“A presença da indústria extrativa mineral é muito forte na economia do município, representando praticamente 60% das receitas correntes líquidas, e você não muda isso da noite para o dia”, observa o secretário de Planejamento, reforçando que outras ações como a implantação de um centro de conhecimento e consórcios municipais estão sendo idealizadas para tornar Parauapebas um centro de referência em tecnologia, fonte de energia renovável e em serviços especializados.

Reportagem: Karine Gomes

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu