Publicidade

Polícia continua investigando execução de líder comunitário

Até o fechamento desta matéria, a polícia ainda não tinha pista segura para colocar na cadeia o pistoleiro que no início da noite da última terça-feira (5) executou com quatro disparos de arma de fogo o líder comunitário e comerciante Ademir Linhares de Lima, 36 anos, conhecido popularmente por “Grande”, Av. Rua Bom Jardim, Bairro Caetanópolis, Parauapebas, onde a vítima residia.

Após ser alvejada, a vítima ainda foi encaminhada para o hospital municipal de Parauapebas, mas não resistiu aos ferimentos e veio a óbito.
“Grande” era proprietário de um bar no mesmo bairro onde ele morava e muito estimado pela população dos bairros Caetanópolis, Guanabara e Bela Vista, pois se tornou uma liderança da comunidade à frente de manifestações públicas que fechavam ruas e cobravam do poder público benfeitorias para os logradouros.

Saraiva publicidade

Informações colhidas de populares no local do crime dão conta que a vítima já havia sido ameaçada de morte algumas vezes por apresentar temperamento muito forte, mas mesmo assim era querido por muitas pessoas.
“O asfalto que tem aqui no bairro foi ele quem lutou para conseguir. Sempre que alguém precisava dele, ele estava junto com a gente, com o jeitão de duro que ele era”, declarou uma testemunha.

Ademir “Grande” possuía passagens pela Polícia Civil de Parauapebas por atos de infracionais como desordem, ameaça e desacato. Em 15 de março do ano passado, após liderar uma manifestação na esquina da Av. Bom Jardim com a Rua Olavo Bilac, no Bairro Guanabara, “Grande” se identificou para a reportagem como sendo Paulo Almeida.

Reportagem: Waldyr Silva – Da redação do Portal Pebinha de Açúcar

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu