Publicidade

Polícia de Parauapebas apreende madeira irregular avaliada em R$ 300 mil

Cinco motoristas de caminhão foram apresentados na 20ª Seccional Urbana de Polícia Civil, em Parauapebas, na manhã desta quarta-feira (28), após serem flagrados pela Polícia Militar transportando madeira proveniente de castanheiras, sem qualquer documentação. As prisões Daniel Dantas Nascimento, Íris Ferreira Neto, João Gomes Barbosa, Raimundo Barbosa Lima e Wessiley do Nascimento ocorreram em uma localidade conhecida como Marinei, já na zona rural de Marabá, mas próxima daquela cidade. As cargas foram avaliadas, pelos policiais, em R$ 300 mil.

“Essa operação ocorreu através de um trabalho que nós realizamos com precaução porque se trata de um crime incomum. Esse pessoal tem métodos de passar com as cargas, eles trabalham de madrugada, sorrateiramente e escondido dos olhos da população, mas recebemos denúncias e as checamos”, informou o tenente-coronel Queiroz, comandante da Polícia Militar naquela região.
Ao todo foram cinco caminhões apreendidos, três com madeira já beneficiada e um com ela em toras. “Toda a madeira é de castanha do Pará. A gente acredita que essa madeira vem de Quatro Bocas (Vila Cruzeiro do Sul, em Marabá) e, por vicinais, chega em Paruapebas e Canaã dos Carajás. Esse mercado é o mercado consumidor”.
Conforme o delegado Rodrigo Paggi, diretor da Seccional, todos os motoristas foram autuados em flagrante por crime ambiental. “Nos foi apresentada a situação de que estaria ocorrendo o transporte de madeira sem autorização e, além da autuação por crime ambiental, no curso do procedimento vamos apurar se há outra infração penal porque existem indícios de que os veículos têm sinal identificador alterado”, informou.


Para apurar se os veículos estão trafegando irregularmente eles foram encaminhados para perícia do Centro de Perícias Científicas ‘Renato Chaves’. Ainda conforme o delegado, a investigação terá continuidade para se investigar quem seriam os receptores dessa madeira. “Quem adquire madeira sem nota fiscal também comete crime, então a polícia vai intensificar a investigação para alcançar o maior número de infratores possíveis”, declarou.
Ele acrescentou, ainda, que alguns dos motoristas serão autuados em flagrante por outras infrações, já que nem todos possuíam Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e alguns ainda tentaram fugir durante a abordagem policial. “Alguns serão autuados por crime de trânsito e quem tentou fugir poderá responder, ainda, por desobediência ou resistência”, finalizou. Ouvidos pela Reportagem, os motoristas alegaram que não sabiam da procedência ilegal da madeira.

Reportagem: Luciana Marschall com informações de Ronaldo Modesto

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu