Publicidade

Poraquê ou sucuri podem ter encerrado a vida de homem na zona rural

Pedro Bezerra da Silva, de 59 anos, natural de São Domingos (MA) foi encontrado morto às margens de um pequeno córrego localizado distante mais de 100 quilômetros de Parauapebas, zona rural de Marabá, próximo a comunidade Cachoeira Preta.

Segundo informações cedidas a reportagem, pessoas que moram na localidade compareceram à Delegacia de Polícia Civil ainda na tarde de ontem (20) para informar sobre o corpo encontrado. Acredita-se que Pedro estaria morto há pelos menos três dias, pois o corpo já estava em estado de decomposição.


A Polícia Civil se deslocou ao local para acompanhar a remoção do corpo e colher algumas informações. Aparentemente, de acordo informações dos moradores próximo ao local repassadas a PC, o homem pode ter sido vítima de um poraquê ou até mesmo uma cobra sucuri, animais comuns naquela área alagadiça. Com a vítima, foi encontrada apenas a bainha do facão, o que levou a crer que ele ainda lutou contra o animal que ceifou sua vida.

O corpo de Pedro Bezerra foi encaminhado para a cidade de Marabá onde passaria por procedimentos no Instituto Médico Legal (IML) daquele município. O caso também será apurado pela Polícia Civil de lá, uma vez que o achado ocorreu na área do município vizinho.

 

O poraquê e sucuri

O peixe poraquê é comum na região amazônica. Faz parte de uma das conhecidas espécies de peixe-elétrico, com capacidade de geração elétrica que varia de cerca de trezentos voltsa cerca de 0,5 ampères até cerca de 1 500 volts a cerca de três ampères. Um choque deste animal é fatal.

Já a Sucuri, é uma cobra comum na região que atinge diversos comprimentos. Na Amazônia, se ouve falar que tem Sucuri com mais de 10 metros. Quando está com fome, a cobra tenta capturar uma presa – na maioria animais – se enrolando e estraçalhando o alvo, engolindo-a logo depois.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu