Banner Educar


Professores de Parauapebas ampliam conhecimentos no Circuito Mineração

Professores de Parauapebas ampliam conhecimentos no Circuito Mineração

Novas oficinas e experiências devem dinamizar o ensino em sala de aula

Professores de História, Geografia e Ciências, do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental da rede pública de ensino de Parauapebas, participaram da segunda formação dentro do projeto “Circuito Mineração nas Escolas”. A ação aconteceu na última semana e reuniu educadores no Centro Mulheres de Barro e também no Parque Zoobotânico Vale. Em sua segunda edição, a iniciativa que é fruto da parceria Vale e Secretaria Municipal de Educação (Semed), chega com a proposta de alcançar 27 escolas do município.

As oficinas realizadas no Parque Zoobotânico Vale tiveram foco em discutir sustentabilidade. Na ocasião, foram apresentados os controles ambientais que a Vale pratica em suas operações, a exemplo do controle de resíduos e de efluentes. A professora de Biologia, Elone Fleck, disse que pretende aplicar todas as oficinas com seus alunos em sala de aula. “Já pedi informações sobre as oficinas realizadas na manhã de hoje. Eu saio daqui muito inspirada para fazer essas atividades com os meus alunos”.

Já os professores de História participaram de atividades no Centro Mulheres de Barro, sobre “Educação Patrimonial”, com a diretora do Museu de Arte de Belém, Janice Lima. De acordo com Janes Vagem, coordenadora de História do 3º e 4º ciclos da Semed, a formação objetiva socializar a história de Parauapebas. “Não apenas de 1980 para cá, com a intervenção da Vale, mas fazendo todo um levantamento histórico da origem do povo que habitou esse território segundo os especialistas, como a Dra. Janice Lima, que palestrou para os nossos professores”.

Janes comenta também que formar os professores é investir na formação dos alunos. “O objetivo da formação é capacitar nossos professores para que este conhecimento chegue até os nossos alunos. A ideia é saber de onde esta história veio. Quem é esse povo e que importância ele tem para a geração atual. É uma forma de se reconhecer dentro da sua própria história”, conta.

Em 2018, o projeto Circuito Mineração nas Escolas, promoverá, além da capacitação dos professores, uma agenda de visitas às operações da Vale. Ao longo do ano, o complexo de Carajás deve receber mais mil estudantes da rede de ensino municipal.

Sobre o “Circuito Mineração”

A iniciativa da Vale está proporcionando maior aproximação e conhecimento dos estudantes e docentes da rede pública de ensino sobre a atividade mineral e sua aplicação em objetos que fazem parte do dia a dia das pessoas.

Em Parauapebas, mais de 48 mil alunos foram atendidos pelo projeto entre os anos de 2014 e 2017. O município também foi primeiro na utilização dos kits de geociência. Os conjuntos, compostos por caixa com amostras de fragmento de rochas minerais identificadas e um guia de orientação, permitiram a realização de novas atividades em sala. Os kits de geociências estão disponíveis nas escolas da zona urbana, rural e também nas áreas indígenas do município.

O projeto Circuito Mineração também ocorre em Marabá, Bom Jesus do Tocantins, Ourilândia e Tucumã, com outra metodologia, com uma proposta diferenciada, apresentando a mineração em uma exposição itinerante, interativa e descontraída, em escolas da rede pública de ensino.

Fechar Menu
error: Reprodução proibida!