Publicidade

Professores rejeitam contraproposta de reajuste salarial e ameaçam greve em Parauapebas

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação no Estado do Pará (Sintepp), em Parauapebas realizou Assembleia Geral de seus filiados nesta quinta-feira (14), no auditório do Centro Universitário de Parauapebas (Ceup) e decidiu rejeitar a contraproposta de reajuste salarial apresentada pelo prefeito Darci Lermen. Com isso, até a próxima terça-feira (19), a categoria está em estado de greve, como é denominado o período de mobilização e articulação dos trabalhadores que antecede à paralisação por tempo indeterminado.
Desde o início das negociações, Darci reluta em ceder às exigências dos servidores. Inicialmente, foi oferecido pelo governo reajuste de 3,75% para salário e para o vale-alimentação. A hora-atividade, pela proposta do governo, passaria de 25% para 28%. Na retomada das negociações, terça-feira (12), Darci avançou um pouco mais e ofereceu 4,3% de reajuste. A hora-atividade seria reajustada em duas parcelas de 4 pontos percentuais, passando de 25% para 29% este ano.
O Sintepp considera insuficiente.
Na assembleia de ontem, os professores presentes decidiram por unanimidade rejeitar a proposta de Darci.
Agora, os professores passam a aderir à proposta do Sindicato dos Servidores Públicos de Parauapebas (Sinseppar), e querem 9% de reajuste, sendo 3,75% referente à reposição das perdas inflacionárias e 5,25% de ganho real, além do reajuste do vale-alimentação para R$ 775,00.
Em relação ao pagamento da hora-atividade, os professores não pretendem aceitar o parcelamento. Querem que o governo pague os 8% de um única vez, subindo de 25% para 33% o percentual incidente sobre essa vantagem.
Os professores avaliam que estão sendo “enrolados” por Darci e decidiram decretar “estado de greve” até o dia 19. Neste dia, está marcada uma nova rodada de negociações quando o governo deverá ser comunicado oficialmente da decisão.
A depender da posição de Darci, os professores avaliarão se entram ou não em greve por tempo indeterminado em toda a rede pública municipal de ensino. O mesmo procedimento deverá ser tomado pelas demais categorias que formam os servidores públicos.
Além disso, os professores resolveram aderir à manifestação programada pelas centrais sindicais para sexta-feira (22). Trata-se da Paralisação Nacional Contra a Reforma da Previdência.
O site procurou entrar em contato com a assessoria do secretário de Educação, professor Luiz Vieira, para que comentasse a decisão do Sintepp, mas foi informado que ele se encontra viajando, mas que se manifestará nas próximas horas.

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu