Publicidade

Projeto da mineradora Vale abre vagas para profissionais especializados

Engenheiros, geólogos e técnicos especializados têm uma grande oportunidade de participar da história do setor mineral brasileiro e contribuir para o desenvolvimento socioeconômico da região amazônica. A Vale está oferecendo cerca de 180 vagas para o Projeto S11D, que introduzirá tecnologias inovadoras na produção de minério de ferro no Brasil. As inscrições podem ser feitas pelo site www.vale.com/oportunidades.

“Oferecemos a oportunidade de participar de um projeto inovador para o segmento de mineração”, explica o diretor de Operação do S11D, Josimar Pires. “Estamos aplicando no S11D inovações tecnológicas como o uso de correias transportadoras na mina em substituição a caminhões de grande porte e o processamento de minério de ferro a umidade natural. Além disso, deixaremos um legado que contribuirá para o desenvolvimento sustentável do sudeste do Pará”.


Para concorrer às vagas, é preciso ter qualificação e experiência na área, além de disponibilidade para morar em Canaã dos Carajás (PA). A lista completa das oportunidades disponíveis está no site www.vale.com/oportunidades .

O início da operação do S11D está previsto para o segundo semestre.

Projeto Ferro Carajás S11D

Localizado no município de Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará, o S11D é o maior projeto de minério de ferro da história da Vale e um dos maiores investimentos privados no Brasil nesta década. Em cenário desafiador pelo qual passa o mercado mundial de minério de ferro, o projeto vem favorecer a manutenção da competividade brasileira no mercado de mineração. Seu produto irá complementar a produção de Carajás, oferecendo um minério de alto teor de ferro com excelente qualidade. As obras da mina e usina estão 80% concluídas

O S11D é também referência em termos ambientais.  Entre as principais soluções tecnológicas está a adoção do sistema truckless, um conjunto de estruturas composto por escavadeiras e britadores móveis interligados por correias transportadoras, que vem substituir os caminhões fora de estrada, reduzindo em 70% do consumo de diesel em relação a uma mina de mesmo porte.

O uso de correias transportadoras permitirá também uma redução anual de, no mínimo, 50% das emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE). A tecnologia permitiu ainda a construção da usina de processamento em uma região de pastagem, fora da área de floresta.  A usina foi projetada para operar a umidade natural, ou seja, sem a geração de rejeitos e sem barragens e ainda permitindo reduzir em 93% o consumo de água, o equivalente ao abastecimento de uma cidade de 400 mil habitantes.

Para saber mais sobre as inovações tecnológicas do Projeto S11D, clique aqui .

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu