Publicidade

Seletivo Especial 2014 da UFPA é o mais disputado da história de Parauapebas

Próximo domingo, 23 de fevereiro, é dia de mata-mata na prova do Processo Seletivo Especial (PSE) da Universidade Federal do Pará (UFPA). Ao todo, 5.723 candidatos estão aptos a fazer a prova do vestibular exclusivo para Parauapebas, município ao qual estão sendo destinadas 140 vagas – 50 ao curso de Direito, 45 ao de Engenharia Civil e outras 45 à graduação em Engenharia Mecânica.
Com 3.023 candidatos inscritos, Direito é o rei da concorrência. Na média, cada candidato terá de ser melhor que, no mínimo, 61 vestibulandos para garantir um assento nos cinco anos de curso. Na prática, porém, é melhor cada aspirante à vaga ter ciência de que vai precisar se sair melhor que os outros 3.022 candidatos com os quais concorre.

A concorrência para Direito é a maior da história de Parauapebas. Em 2002, quando a primeira turma fez vestibular para as 40 vagas, a demanda foi de 9 (candidatos) para 1 (vaga). Em 2008, já eram 1.341 candidatos disputaram as 50 cadeiras, o que conferiu média de 26,08 para 1. Agora, mais que dobrou: 60,46 para 1. Por outro lado, no último vestibular para o curso, o índice de não comparecimento à prova foi altíssimo: mais de 20% dos que se inscreveram não participaram do certame.


A média salarial dos formados em Direito, segundo a mais recente pesquisa nacional divulgada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), está em R$ 4.675,19, a 12ª maior entre as formações de nível superior. Mas algumas carreiras do serviço público conferem ganhos aos diplomados em Direito de mais de R$ 20 mil mensais.
Engenharia Civil, curso mais disputado “no verão passado”, caiu para segundo lugar nesta invernada. A concorrência – que foi de 28,45 seis anos atrás – subiu para 35,56, já que há 1.600 vestibulandos no leilão das 45 vagas. É uma demanda muito mais alta que as outras graduações já ofertadas no município pela UFPA, como Ciências Contábeis e Administração, à mesma época da primeira turma de Direito, em 2002; Jornalismo, em 2004, entre outras.
A média salarial dos engenheiros civis é de R$ 6.650,59, a 5ª melhor entre as carreiras de Engenharia, segundo o Ipea, embora se saiba que exista engenheiros civis que faturem bastante apenas com uma canetada em projeto.

Por seu turno, a estreante Engenharia Mecânica vem com demanda de 24,44 para 1. São 1.100 pessoas disputando as 45 vagas oferecidas num curso cuja necessidade de profissionais tende a ser alta na região nos próximos seis anos, haja vista a implantação de grandes projetos na região, como o S11D, em Canaã dos Carajás; o Alumina Rondon, em Rondon do Pará; e uma fábrica de correias transportadoras, em Marabá. O curso de Engenharia Mecânica em andamento mais próximo está a 420 quilômetros, em Tucuruí.
Entre os ramos da Engenharia, a Mecânica é a segunda a remunerar melhor seus profissionais. São R$ 7.072,08 médios para engenheiros mecânicos em início de carreira, valor que só perde para a remuneração dos engenheiros de minas, conforme o Comunicado Nº 27 do Ipea – Perspectivas Profissionais divulgado ano passado. Ainda assim, como o valor é “per capita”, facilmente um engenheiro mecânico com entre três e cinco anos de carreira chega a ganhar a partir de R$ 15 mil.

JOVENS
Vale ressaltar que a evolução da concorrência dos vestibulares da UFPA em Parauapebas acompanha o crescimento demográfico do município, cuja população jovem – com idade entre 18 e 24 anos, que é mais atraída pelo ensino superior – passou de 10.495 indivíduos em 2000 para 24.693 em 2010, um crescimento de 135%, conforme dados do “Atlas do Desenvolvimento Humano 2013”. Em 2014, os jovens com essa faixa etária já somam 30.400 cidadãos no município.

Reportagem: André Santos – Foto: Arquivo

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu