Publicidade

Semas faz lançamento da campanha contra o trabalho infantil

12 de junho, é o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil. Nesta data, sociedade civil organizada e governos lembram dos avanços conseguidos na erradicação do trabalho infantil e reforçam, ainda, que há muito a ser feito para acabar completamente com esse risco social e educativo a que milhões de crianças e adolescentes são submetidos ao redor do mundo.

Em Parauapebas, a Secretaria Municipal de Assistência Social – SEMAS fez o lançamento da Campanha de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil 2013, intitulada “Trabalho Infantil é Crime: Denuncie!”, na última quarta-feira (12 de junho), no plenarinho da Câmara Municipal de Parauapebas.

Saraiva publicidade

O evento contou com a presença da secretária Municipal de Assistência Social, Leudicy Leão, o presidente da Câmara de Vereadores, Josineto Feitosa, representante do Conselho Municipal de Assistência Social (COMASP), George Augusto, presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Parauapebas (COMDCAP), Aldo Lindoso, do coordenador do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), Jean Felipe, além do promotor de justiça do município, ONGs, Conselho Tutelar e convidados.

Durante o lançamento da campanha foram relatados situações que vem acontecendo no município e as ações que serão que serão feitas.

Segundo a secretária Leudicy Leão, a Semas tem o Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) que é, uma unidade pública de atendimento da Secretaria de Assistência Social, onde são ofertados serviços especializados de caráter continuado, para famílias e indivíduos vítimas de violação de direitos como: violência física, psicológica, negligência, violência sexual, tráfico de pessoas, vivência de trabalho infantil, entre outros.

A secretária ainda informa que a campanha segue o ano todo nas escolas, nos bairros e na zona rural. “A sua denúncia será anônima e você estará contribuindo para um país melhor”, disse Leudicy Leão.

Cristiane Rezende, coordenadora da Proteção Social Especial (média e alta complexidade), da Semas, apresentou dados do município onde existe mais de duas mil crianças e adolescentes afetadas com o trabalho infantil. “Nossa finalidade é sensibilizar a sociedade para denunciar casos de trabalho infantil e fortalecer a Rede de Atendimento do Município. A criança que trabalha não tem tempo de brincar e nem de estudar. Direitos garantidos pelo Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) a todas a crianças do país”, afirmou Cristiane Rezende.

Ainda na programação teve os esclarecimentos da senhora Maria da Guia, coordenadora do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI, Jean Felipe, coordenador do Centro de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS) e assistente social, Jurema Ribeiro. Eles esclareceram a importância de articular e fortalecer a Rede de Atendimento do Município, além de desenvolver ações eficientes e eficazes, através de parcerias com instituições governamentais e não governamentais. Os palestrantes ainda falaram que o trabalho infantil provoca uma tríplice exclusão. Na infância, quando perde a oportunidade de brincar, estudar e aprender. Na idade adulta, quando perde oportunidades de trabalho por falta de qualificação profissional e na velhice, pela consequente falta de condições dignas de sobrevivência.

O lançamento da campanha aconteceu durante o período da manhã na Câmara Municipal e a tarde, às 17 horas, com apoio do Departamento Municipal de Trânsito e Transporte (DMTT), a programação encerrou com uma caminhada junto com os alunos do Centro de Referência da Criança e do Adolescente – CRIAR (antigo Projeto Pipa), adolescentes e profissionais da rede de atendimento, saíndo de frente do quartel da Policia Militar e seguindo até a praça de eventos. A caminhada foi para lembrar o Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil e mostrar a população que ações estão sendo feito, mas precisa do apoio de toda sociedade.

Essa é uma campanha da Secretaria Municipal de Assistência Social contra o Trabalho Infantil em Parauapebas. Canais de denuncia: Conselho Tutelar 3356-2150, Ligue 100, Dique 181 e Dique Denuncia 3346-2250.

Reportagem: Deicharles Damascena

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu