Publicidade

Situação caótica da Escola Estadual Irmã Dulce faz vereadores visitarem instalações do prédio

A situação é tão preocupante, que Bruno Soares e Josineto Feitosa afirmaram aos alunos e professores da instituição de ensino que irão acionar o mais rápido possível o Corpo de Bombeiros para que se faça uma perícia técnica no local, tendo em vista que rachaduras por todo o prédio, diversas falhas na rede elétrica e infiltrações são vistas facialmente.

Na última sessão ordinária, realizada na Câmara Municipal de Parauapebas, cerca de 400 alunos da Escola Irmã Dulce foram até o Plenário e fizeram uma manifestação pacífica, onde na oportunidade pediram apoio aos vereadores para pressionarem o Governo do Estado, responsável pela educação do ensino médio, em relação às péssimas condições em que se encontram o prédio da escola.

Saraiva publicidade

Comovidos com a situação dos alunos, os vereadores Bruno Soares e Josineto Feitosa, foram acompanhar de perto a situação do prédio onde funciona a Escola Irmã Dulce e ficaram impressionados com tamanho descaso por parte do Governo Estadual e até mesmo Municipal, já que durante dois turnos o prédio é cedido para o município, para com os alunos, funcionários e professores que todos os dias precisam ir até a escola.

Visitando sala por sala, fotografando a situação de abandono da escola e conversando com professores e alunos, Bruno Soares e Josineto Feitosa percorreram por mais de uma hora a escola e ficaram preocupados com o risco em que centenas de pessoas passam diariamente no local devido às péssimas condições do prédio que foi reinaugurado em setembro de 2009 sem ter a vistoria do Corpo de Bombeiros.

Em declarações prestadas à reportagem, Bruno Soares foi enfático em afirmar que a situação em que a Escola Irmã Dulce se encontra atualmente é uma vergonha para os governos das esferas Municipal e Estadual. “A situação denunciada pelos alunos e vista de perto por nós hoje no Irmã Dulce é uma vergonha, é inaceitável que nossos alunos, professores e servidores públicos estejam diariamente colocando suas respectivas vidas em risco frequentando este prédio que nem mesmo deveria estar funcionando”, destacou Bruno Soares, que afirmou à nossa reportagem que pediu para sua equipe de gabinete fazer um relatório completo, para que de forma urgente providências possam ser tomadas. “O que não pode acontecer é que alguém saia machucado deste prédio que está sendo utilizado por crianças, jovens e adultos de forma completamente fora dos padrões de segurança”, finalizou.

Por sua vez, Josineto Feitosa que é professor e inclusive já deu aula na Escola Irmã Dulce, afirmou que a situação chegou a uma fase inadmissível. “Não podemos aceitar que o Governador Jatene deixe os nossos alunos e educadores em uma escola nesta situação. Tenho certeza que se o Corpo de Bombeiros fizer uma vistoria técnica, com certeza vai interditar este prédio, afinal, são várias vidas que estão em jogo. Não podemos deixar de responsabilizar também a prefeitura de Parauapebas, afinal, a Secretaria Municipal de Educação também usa o prédio em dois turnos”, enfocou o presidente da Câmara de Vereadores, afirmando ainda que irá à Belém na próxima semana e entregará o relatório que está sendo feito pela equipe do vereador Bruno Soares pessoalmente na Secretaria Estadual de Educação (SEDUC).

Compartilhe essa notícia

Tags

Veja também

Fechar Menu