Publicidade
Curionópolis

Vale detalha ampliação do Projeto Serra Leste em Curionópolis

A Vale requereu à Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) o licenciamento para expansão de Serra Leste, unidade de mineração de ferro operada pela empresa desde 2015 no município de Curionópolis (PA). O projeto é fundamental para a manutenção das operações da unidade e seu plano de crescimento, tendo em vista que os limites da área, até então, licenciada para a extração do minério deve ser alcançado em meados de 2018.

A expansão dará à Serra Leste a capacidade de produzir até 10 milhões de toneladas por ano. Porém, o volume de produção anual das unidades é definido de acordo com fatores como demanda do mercado, logística e competitividade junto aos concorrentes. Hoje, a unidade tem capacidade e licença para produzir até 6 milhões. Em 2016, a demanda de produção para Serra Leste foi de 4,2 Mtpa (milhões de toneladas por ano).

A previsão é de que 1.300 vagas sejam geradas na fase de construção. Porém, a mobilização de mão de obra será gradativa, ou seja, conforme o avanço das etapas do projeto, que incluem: abertura e ampliação das cavas, na primeira fase e construção das estruturas como usina e pilhas de estéril, no período seguinte.

Após a conclusão das obras, já na operação, com a unidade em sua capacidade plena (produção de 10 milhões), espera-se que um total de 1.100 empregados atuem na mina, usina e pátios de carregamento. Esta previsão, é importante destacar, compreende o quantitativo de 645 trabalhadores entre próprios e terceiros, que a unidade já emprega atualmente.

Repasse Financeiro

No período de 2013, ainda na implantação de Serra Leste até julho de 2017, a Vale, por meio da unidade, gerou ao município cerca de R$ 42 milhões com o recolhimento do Imposto sobre Serviços (ISS) e a Compensação Financeira pela Exploração Mineral (Cfem). A Cfem foi instituída pela Constituição Federal como compensação paga obrigatoriamente pelas empresas que extraem substâncias minerais para fins econômicos.

A CFEM é paga e distribuída aos Estados, Municípios, Distrito Federal e órgão de adminstração da União. De acordo com o Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM),a aplicação da compensação deve ser feita em projetos que se revertam, direta ou indiretamente, em benefícios da comunidade local.

Sem barragem

Em virtude da alta qualidade de teor de minério presente em Serra Leste, a unidade opera a seco, ou seja, sem a utilização de água. A nova usina utilizará o mesmo processo, o que descarta a implantação de barragens. O sistema também já é usado no Complexo S11D Eliezer Batista implantado em Canaã dos Carajás e em mais de 70% das linhas de produção de Carajás, em Parauapebas.

Uso do minério de ferro

A atividade de mineração transforma os minérios em produtos que são fundamentais hoje para avida em sociedade. Produtos usados na fabricação, por exemplo, de um celular até um avião, na construção de casas e prédios, eletrodomésticos, equipamentos etc.

Publicidade

Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing LTDA-ME
CNPJ: 05.200.883.0001-05 Parauapebas-Pará-Brasil
(94) 99121-9293 | (94) 981342558

Todos os direitos reservados © 2017 Pebinha de Açúcar Comunicação & Marketing Ltda-ME
Desenvolvimento Web: Agência Maktub

To Top
error: Reprodução proibida!